Vamos falar sobre livros digitais?!

Em 18.10.2017   Arquivado em Livros

Oi, gente! Tudo certo com vocês?!

Outro dia eu vi uma pesquisa no Cuponation que despertou em mim certa curiosidade a respeito dos livros e leitores digitais e também acabei ficando curiosa para saber a opinião de vocês a respeito do assunto.

A pesquisa (que vocês poderão analisar ali embaixo) mostra que os livros digitais, na maioria das vezes, são mais baratos que os livros físicos. Claro que existem controvérsias, eu mesma já vi livros digitais mais caros que livros físicos (e nunca entendi o porque disso), mas não podemos negar que a procura por livros digitais cresce mais e mais a cada dia. Pensando nisso, eu decidi me aprofundar mais sobre o tema e conversar com algumas pessoas que possuem mais conhecimento a respeito do assunto.

Infelizmente eu não sou muito adepta a realizar leituras em formato digital pelo simples motivo de que eu não possuo um e-reader. Eu já tentei ler pelo celular inúmeras vezes – inclusive foi através do aplicativo Kindle que eu realizei a leitura de Senhorita Aurora, um dos meus livros preferidos da vida – mas é extremamente desagradável para mim. Porém, dependendo do livro {e do meu interesse}, eu acabo fazendo um esforcinho, hehe.

Aproveitei a oportunidade desse post para falar com a minha amiga Ana que possuí um Kobo e ela me contou que, infelizmente, nem sempre os livros digitais são mais baratos que os livros físicos (concordamos nesse ponto), mas que existem algumas opções para os usuários de e-readers, como o Kindle Unlimited (para usuários do Kindle) e livros para download no site da Livraria Cultura (usuários Kobo). Além disso, ela também comentou que a praticidade do leitor digital é bem bacana, já que é possível ajustar o tamanho das fontes e margens do texto, levar muitos livros pra qualquer lugar sem carregar peso extra; e que também é possível ler com tranquilidade antes de dormir, mesmo com a falta de luz. Mas ela, assim como eu, não dispensa o prazer de ter um exemplar físico em mãos.

Também conversei com a Ju (blog Literata) e ela me disse que não tem o costume de ler livros digitais, já que ela se considera uma leitora tradicional, e que assim como eu e a Ana, também gosta do prazer de ter (e sentir) um livro em mãos. Porém, ela também reforçou a questão da praticidade que um leitor digital possui, considerando a quantidade de livros que o dispositivo suporta, e o fato de que é possível acompanhar em tempo real o progresso da leitura.

Enquanto eu escrevia esse post, passou pela minha cabeça que boa parte dos autores independentes publicam seus livros em formato digital. Então esse seria mais um ponto para incentivar e ajudar a venda de livros nacionais. E, obviamente, os livros nesse formato acabam fazendo um bem danado para o meio ambiente. {cinquenta pontos para Grifinória por causa dessas descobertas}

Apesar de serem extremamente práticos, um ponto negativo que identifico com frequência nos e-readers é o valor salgadinho (ainda fora do orçamento para mim) – mas vale a pena citar que atualmente existe um grande leque de opções, como tablets, celulares e afins. Mesmo sabendo que existem muitas vantagens ao realizar a leitura de um livro digital, eu ainda sou daquelas que gosta de sentir o cheirinho de livro novo, ficar folheando as obras e rabiscar as minhas citações preferidas. Então não sei se eu me adaptaria bem a essa praticidade.

♦ Gostaria de saber qual é a opinião de vocês a respeito desse assunto. Vocês preferem livros físicos ou e-books?! E por que?!

Contem para mim nos comentários! Vamos debater sobre esse tema 😊

Beijos e até mais!

{Imagens:   }

  • Ana Clara de Moraes

    Em 18.10.2017

    Adorei o texto, Cá!
    Como eu disse, se eu não encontro o eBook de graça, dou preferência ao livro físico, levando em conta que os preços dos ebooks estão tão semelhantes aos preços dos físicos.

    Porém, existem pessoas que apesar de já terem lido determinado livro em formato digital, ainda compram o mesmo livro só pra ter na estante. Acho isso muito desnecessário. E em vez de dar espaço para uma nova leitura, acumulam livros que já foram lidos anteriormente. Enfim, acho que já estou perdendo o foco da discussão que seu texto traz, mas queria comentar sobre isso.

    Parabéns pelo texto, gêminha! <3

    [Responder]

    Resposta: Cássia Vicentin

    Anuxa! Obrigada pela ajuda e dicas com esse post <3

    E, também, muito obrigada por complementar algumas infos através do seu comentário. Você é demais!

    Te amo, gêminha <3

    [Responder]

  • Luciana Midory

    Em 18.10.2017

    Adorei a reflexão sobre o assunto!
    Eu também gosto muito da sensação de tirar o livro do plástico, sentir o cheiro de novo dele! No caso das HQs, adoro folhear mil vezes, admirar as imagens e depois fotografá-los para o blog. Mas confesso que eu fico um pouco agoniada depois, por tê-los e eles ficarem ali, parados… eu sou meio neurada com essa coisa de acumular coisas, gosto de ter o menos possível, sabe?
    Uma coisa que tenho feito é não abrir mão de algumas edições físicas, que eu sei que vou gostar de reler (como clássicos tipo Nárnia) ou vou gostar de admirar na estante, ahahaha (como a coleção de graphics MSP e Discworld). E também compro HQs independentes que não tem como ler de outra forma.
    Outra coisa que tenho feito é ler mangás e HQs por apps. Estou testando o Tapas há algum tempo (até pretendo fazer resenha dele no blog depois!) e tenho gostado, só não leio mais porque todo o conteúdo está em inglês e eu tenho uma preguiça imensa de ler em inglês… mas eu acho que compensa bastante, principalmente em relação a mangás (acumular mangás é bom e desesperador ao mesmo tempo… ainda mais que os antigos vão ficando com as páginas amareladas).
    Mas eu pretendo comprar um e-reader em breve, para tentar ler mais livros, principalmente técnicos. São livros que não compensa ter fisicamente, pois os assuntos ficam desatualizados rapidamente, assim como livros que não são “colecionáveis”, mas tenho curiosidade, como o Amor & Gelato! Ahahaha
    Enfim, eu acho que o lance é dosar! Acho que tem livros que compensam ter fisicamente, outros não… e esse fator é independente se eles valem ser lidos ou não 🙂
    Beijos, Cássia <3

    [Responder]

  • Lu Saiuri Hanashiro

    Em 18.10.2017

    Fiquei “namorando” um e-reader por um bom tempo até conseguir comprar o meu em 2015 – usado e em perfeeeitooo estado! É um Kobo que comprei na época de faculdade + estágio. Como perdia uma eternidade na fila da condução (o que era um tormento principalmente às 23:30!) resolvi caçar meu e-reader. Valeu muito a pena pra mim, é bem levinho e consigo ler por mais tempo, já que a minha vista não cansa! 🙂
    Legal também se você estuda outro idioma, já que o aparelho pode mostrar o significado das palavras 😀

    Bjão!!

    [Responder]

  • Emy

    Em 18.10.2017

    Eu concordo com a praticidade de poder carregar milhares de livros sem peso extra na bolsa, mas eu não troco um exemplar físico por nada neste mundo! rsrs Por mais que goste de tecnologia, para algumas coisas eu sou “tradicional”. Eu gosto de sentir o livro, folhear, colocar ele como parte da decoração do meu quarto em cima da escrivaninha. Ainda são poucos, mas sonho em ter uma parede inteira com meus livros <3

    [Responder]

  • Cyndi

    Em 18.10.2017

    Cássia, sua linda <3
    Comprei um Kobo usado de um conhecido (antiiiigo o coitado, nem luz interna possui), justamente para poder ler antes de comprar alguns livros. Sou daquelas que preza ter o livro físico, de sentir, de cheirar e estudar tudo nos mínimos detalhes e, graças ao e-reader, já fui salva de varias ciladas que estive namorando nas livrarias mas odiei mortalmente depois (ou durante) da leitura, como também há alguns que li e não desejo ter um exemplar comigo.
    Existem duas coisas que O D E I O com relação a livros, é comprar algo que vou desgostar (em outras belas palavras, gastar dinheiro para vender depois) e emprestar (má educada ou não, jamais me peça um livro emprestado, terá um NÃO antes de terminar a frase) e o santo Kobo me salva desses apuros.
    Esse comentário tem muitos ''odeio'' mas é com muito carinho que digo que, apesar de todas as vantagens do livro digital – citadas no post e complementadas nos comments, eu cedo em minha estante e coração lugar para os livros físicos, por toda a consideração e significado que eles trazem para mim.
    Um abraço quentinho e muitos beijinhos (◍•ᴗ•◍)♡ ✧*。

    [Responder]

Scroll Up