Platônico .

Em 16.05.2009   Arquivado em Textos
Pra falar a verdade eu sei que mais uma vez eu vou escrever um texto pensando em você e você nem ao menos vai se importar em ler.E nesse exato instante me dei conta de que o amor que eu sinto por você não é normal.É algo que vai mais além,porém de tão além que vai não é correspondido da forma esperada.Eu poderia muito bem comparar esse amor que sinto por você com o amor que sinto por Johnny Depp: Platônico,afinal amo e não sou correspondida.Amo em vão.Com todas as minhas forças mais em vão.Fico me martirizando em meus pensamentos ,tentando encontrar alguma forma de fazer você sentir isso por mim também.Eu daria a minha vida por você e não pediria NADA em troca.É muito difícil passar por tudo isso.E o mais foda de tudo isso – sim existe algo que consegue ser pior que isso – é que é o amor mais verdadeiro do mundo , ou pelo menos eu acho e acredito que é.Agora eu intendo quando minha prima me dizia que eu ficara apaixonada por você,mais que seria platônico.Sei que já virou clichê falar sobre isso,mais eu tenho meus motivos para agir assim:em silêncio.E o que dói mais é que você ainda se importa com a porcaria da nossa amizade.Mais que amizade é essa?Colorida para uma das partes – a mais fraca – e de irmãos para a outra.Eu não quero ser apenas sua irmã,eu quero ir mais além,quero descobrir coisas novas que derivam desse novo sentimento que guardo em meu peito.Prefiro de tantas maneiras não ser NADA do que ser apenas uma irmã.Queria tanto que você pudesse sentir isso que estou sentindo agora e que juntos,pudéssemos seguir juntos nessa estrada.É difícil ter que sentir isso que eu estou sentindo agora,e me pergunto: Por que você?!Existem tantos e tantos homens nesse mundo,e por que foi justo por você que eu tive que me apaixonar?Não,definitivamente não é normal o que eu sinto por você,mais não se tem nada a fazer,somente guardar isso em meu coração até o dia em que você consiga me olhar com outros olhos e ganhar – mais uma vez – da forma mais covarde um de meus sorrisos e suspiros.

Espera

Em 16.05.2009   Arquivado em Textos
Amanhece, um dia que poderia ser perfeito… Poderia, não é. Embora a brisa do sol que, pra quem gosta, está lá fora radiando e os pássaros cantam uma bela melodia, eu tenho frio. Frio de saber que você não está mais aqui comigo e que seus lábios – que nem ao menos tocaram os meus – nunca mais irão ter a chance de tocar. Ah, mas como eu queria apenas uma chance pra te provar o quanto você poderia ser feliz ao meu lado e que juntos poderíamos seguir em frente. Um desperdício de sentimentos que se misturam em um mar de ilusões. Realmente eu achei que sua capacidade de me hipnotizar e me dizer as mais belas frases conseguiria ir mais além disso tudo. Me enganei, e começo a perceber quem você realmente é, e como funciona seu jogo – sujo – com o meu coração. Eu poderia muito, muito bem me sentar e esperar para sempre, mas será que vale a pena esperar por você?!

Dúvidas…

Em 15.05.2009   Arquivado em Textos

Está frio e chove muito lá fora. Meus pensamentos começam a se confundir como um grande labirinto, e eu fico aqui quieta ouvindo minhas músicas. Tudo o que tenho vivido nesses últimos dias está mexendo muito comigo e eu acabo ficando pior do que já estava… Não faz nenhum,nenhum sentido gostar – ou achar que gosto – de dois meninos completamente diferentes. Dois sentimentos diferentes, que custam a se decidir dentro do meu coração qual o melhor para mim. E eu sofro muito com tudo isso. Tornaram-se em tão pouco tempo especiais para mim e a chuva que caí – doce e serena – lá fora chora por mim. Ah, como eu queria sair por ai gritando eu te amo, sem medo algum de reações alheias e receber um eu também te amo de volta. Iria ganhar meu dia… Mas para quem falar ‘eu te amo‘? Se eu terminar tudo e ir correndo a seu encontro e não valer a pena? Tenho muito medo de ficar sem nenhum… e sofrer. A ausência de vocês me machuca, me faz falta e eu não sei como expressar tudo o que sinto. Só o tempo – que podia voltar – vai resolver tudo…

Página 169 de 169«1 ...168169
Scroll Up