Categoria:

Gillian Flynn

[Resenha] – Quem era ela

Arquivado em Livros, Resenhas
- março 27, 2017

Fazia tempo que um livro não me prendia da primeira até a última página; Comecei a leitura de Quem era ela por conta dos inúmeros comentários positivos que circularam nas redes sociais a respeito da obra, e quando percebi, já estava devorando o livro em busca de respostas. Li as quase 340 páginas em menos de três dias e posso dizer que o livro entrou na minha lista de melhores leituras do ano.

Como você se sentiria que precisasse responder um questionário e seguir regras para morar em uma casa perfeita?! 

Folgate Street, nº 1 foi planejada por Edward Monkford, um renomeado arquiteto e um dos sócios fundadores da Monkford e Associdados. A casa é minimalista e é composta por muita tecnologia, desde uma senha para abrir a porta, até sensores que ligam o chuveiro, e ela é considerada uma casa muito segura. Mas por conta de todas essas qualidades, os interessados em morar em Folgate Street, nº 1 precisam preencher uma série de formulários e realizar uma entrevista com Edward, que tem o veredito final sobre quem poderá morar lá.

O livro é narrado sob a perspectiva de duas personagens: Antes: EmmaDepois: Jane. As diferentes visões a respeito da Folgate Street, nº 1 são importantes para o melhor desenvolvimento e entendimento da história. Jane é a atual moradora da casa, mas aos poucos descobre que a antiga inquilina, Emma, teve uma história misteriosa enquanto viveu ali. Aos poucos Jane se vê envolvida nesse mistério, e tenta descobrir o que, de fato, aconteceu.

Durante a leitura da obra é possível identificar que Jane e Emma possuem algumas características em comum, o que torna toda história ainda mais enigmática. Por conta da narrativa que se alterna, é possível acompanhar a vida de Emma e em que ponto a história de Jane “cruzou” com a dela. E eu adianto uma coisinha pra vocês: são fatos de tirar o sono.

Todos os personagens tem um peso muito forte na história. Eles foram muito bem desenvolvidos e possuem ligações que tornam toda a história por trás de Folgate Street, nº 1 mais misteriosa. É difícil de saber quem está falando a verdade e quem está tentando tirar algum tipo de proveito diante dos fatos apresentados. Além disso, a casa em si também se torna uma espécie de personagem, uma vez que as descrições sobre ela são muito bem detalhadas e ela (sim, a casa!!) pode induzir conclusões a respeito de diversos fatos.

Os capítulos são curtos e o autor soube criar um clima de muito suspense, mistérios e enigmas a respeito da casa e também dos personagens. A impressão que eu tive foi a de que JP Delaney “jogava” informações para o leitor guardar na memória e só trabalhava com isso nos capítulos seguintes. Isso prendeu minha atenção de uma maneira que não sei explicar; só sei que foi muito bom.

Não tenho tempo para pessoas que não se esforçam para aperfeiçoar a si mesmas.

Concordo [ ] [ ] [ ] [ ] [ ] Discordo

 

Quem era ela aborda temas do cotidiano, temas que são considerados tabus nos dias de hoje e também temas que dificilmente são vistos na literatura. O livro quebra paradigmas e faz questão de mostrar que toda ação tem uma reação.

A edição da Intrínseca está um capricho; o livro veio dentro de uma caixinha, sem muitas explicações sobre a obra (e me conquistou logo ali). Eu achei super interessante que os inícios de capítulos são parte dos questionários respondidos pelas personagens, o que me fazia ficar refletindo sobre diversos assuntos da minha vida – e também sobre o rumo que a história estava seguindo.

Eu queria ficar falando sobre esse livro por mais capítulos. Mas o meu medo de soltar algum spoiler é grande. E é sério: o livro só tem graça se você descobre aos poucos o que aconteceu. Mas é claro, se você já leu e quer trocar figurinhas sobre a história, é só me mandar um e-mail

Só peço uma coisa: leiam esse livro! Quem era ela é uma obra de arte e me lembrou bastante os livros da Gillian Flynn. Eu já fiquei imaginando uma adaptação para o cinema e vou indicar esse livro com todas as forças pra todo mundo, hahaha!


SELO_BLOGSPARCEIROS_2016

*Comprando na Amazon através desse link você ajuda o blog através de uma pequena comissão

[Resenha] – O Adulto

Arquivado em Livros, Resenhas
- agosto 9, 2016

O adulto

“O Adulto” é um conto escrito pela maravilhosa Gillian Flynn e um dos lançamentos da Editora Intrínseca. Flynn escreveu esse conto por influência de Geoge R. R. Martin, e nos presenteou com uma magnífica obra.

Nesse conto conhecemos Nerd, uma vidente que já passou por muita coisa na vida, e por isso, sempre tenta tirar vantagem de alguma situação. Em uma de suas consultas ela conhece Susan Burke, uma mulher extremamente desesperada que jura por tudo o que é mais sagrado que seu enteado está passando por sérios problemas. Apesar de se considerar uma vidente, Nerd não acredita muito em energias malignas e espíritos, e por isso propõe para Susan uma limpeza na casa onde acontecem os eventos sobrenaturais… Mas é claro que Gillian sambou na cara de todo mundo e transformou essa história em algo extraordinário.

Não posso contar mais detalhes pois por se tratar de um conto (cerca de 60 páginas), posso acabar soltando algum spoiler sem querer (e eu sei que tem gente que não gosta). Mas preciso ressaltar que Gillian mais uma vez ganhou meu coração e que o desenrolar da história é assustador e perigoso. Eu gostaria que esse conto virasse um livro, porque tenho certeza de que Gillian saberia trabalhar com mais artefatos e personagens, de uma maneira tão natural como abrir os olhos.

Gostei bastante da personagem NerdApesar de não concordar com boa parte de suas escolhas, é possível perceber que ela é uma mulher que já sofreu muito e que por isso vive atrás de uma máscara. Em contra partida, Susan foi uma grande surpresa ao decorrer da obra. Miles (o enteado de Susan) é outro personagem que ganha certo destaque, e que acaba se tornando uma peça chave para o desenrolar da trama. Além disso, posso afirmar que toda a família Burke tem um ar esquisito, mas que tudo é explicado durante a trama.

Fiquei de boca aberta quando fui chegando no final da história, mas precisei reler alguns trechos porque eu não acreditava que aquilo estava acontecendo. Sério, vocês precisam ler esse livro. Quero saber a opinião de todo mundo a respeito dessa obra! Gillian Flynn ganhou mais pontos no meu coração e ela é, sem dúvidas, a minha autora preferida.


 Editora: Intrínseca

ISBN: 9788580579451

Autor(es): Gillian Flynn

Páginas: 64 páginas

Ano: 2016

Adicione no Skoob

SELO_BLOGSPARCEIROS_2016

[Resenha] – Objetos Cortantes

Arquivado em Livros, Resenhas
- março 30, 2015
Objetos Cortantes é mais uma incrível obra da autora Gillian Flynn, que instiga as mais diversas sensações de quem está lendo. Por ser seu livro de esteia, eu estava com um pouco de receio sobre o que poderia encontrar; mas adianto que a leitura é incrível e que o fluxo da história é super envolvente.O livro nos conta a história de Camille, uma jornalista que vive em Chicago, mas que é enviada para cobrir dois assassinatos em menos de nove meses em sua cidade natal – Wind Gap. No entanto, esse retorno acaba revivendo lembranças de um passado que nossa protagonista gostaria de esquecer, e nos mostra como era/é a convivência com Adora – sua mãe -, seu padrasto, e a meia-irmã, Amma.
Aos poucos descobrimos peculiaridades sobre a família de Camille, mas o que mais choca (a princípio) é o fato de que nossa protagonista gosta de se cortar: ela tem o corpo todo cortado com as mais diversas palavras, sendo que cada uma têm um significado para ela.
Ao decorrer dos capítulos, Camille se vê em um beco sem saída, uma vez que quase ninguém quer falar sobre as mortes e ela precisa de depoimentos para concluir sua matéria para o jornal. E assim ela se aproxima do detetive que está investigando o caso, de um irmão de uma das vítimas, das antigas amigas de escola, das amigas de sua mãe… E pouco a pouco o circo se fecha e a verdade vêm à tona.
Cada personagem tem um papel fundamental no desenrolar da narrativa. É incrível como a autora consegue encaixar todos os elementos tão naturalmente! Para mim todos eram suspeitos dos assassinatos, o que me fez torcer mais para alguns personagens do que para outros – e felizmente eu estava errada sobre a pessoa que escolhi como culpada.Obviamente Gillian usou seu dom de persuasão para nos confundir do início ao fim da obra. Da mesma maneira que aconteceu em Garota Exemplar, ela instiga quem está lendo para que ajude a solucionar crimes. e assim eu tentei descobrir quem era o assassino de garotinhas que matava e depois arrancava seus dentes. Gosto de como ela faz com que seus leitores sintam-se parte da trama.
Depois de concluir a leitura desse livro, fiquei sem reação alguma. Gosto de como a autora faz isso com os leitores, e ela conquistou mais um pedaço do meu coração. Criei um interesse maior por livros desse gênero depois que conheci sua escrita, então não posso deixar de registrar que serei eternamente fã dessa incrível escritora!

Editora: Intrínseca

ISBN: 9788580576580

Autor(es): Gillian Flynn

Páginas: 256 páginas

Ano: 2015

Skoob | Orelha de Livro

* Livro cedido para resenha pela Editora.