Categoria:

Saudade

Saudade dos meus quinze anos

Arquivado em Mídias, Música
- abril 17, 2017

Oi, gente! Tudo bem com vocês?! Espero que sim!

Eu sei que eu acabei sumindo de novo, mas a minha vida está uma correria e eu ando tão cansada 😪 Mas vamos ao que interessa… Hoje à tarde eu estava lembrando de algumas músicas que eu ouvia quando era mais nova. Era uma fase tão gostosa, eu passava horas e horas assistindo séries, animes e ouvindo muitas bandas (que hoje já nem existem mais 💔). Por conta disso, eu resolvi dividir esse sentimento de nostalgia com vocês, hahaha!

Continuar lendo…

Bienal de Primeira Viagem #4 – Segurando o forninho!

Arquivado em Diversão, Fica a dica, Viagens
- agosto 27, 2014

Para mim, a Bienal como um todo foi um apanhado de descobertas, desafios e decepções. As expectativas eram tantas, mas acabei caindo na real e descobri que nem tudo é o que parece, que não posso esperar muito de algumas coisas/pessoas e que a vida é assim. Posso dizer, então, que também foi um grande aprendizado.

O evento foi interessante, foi uma experiência bacana, mas a organização deixou um pouco a desejar. Os corredores eram muito apertados, os estandes das ~grandes editoras~ eram muito próximos e o tumulto era GIGANTE. Muito empurra, empurra e ouvi boatos de que algumas pessoas estavam aproveitando a lotação nas editoras para roubar livros. =/

Para mim, o que mais valeu a pena na viagem, foi encontrar o pessoal da blogosfera, um pedacinho do Purgs, participar dos eventos e conhecer alguns autores (principalmente o Gomyde! ♥__♥).

Então a hora de mostrar as fotos chegou (MUAHAHA). Vou comentar um pouco sobre cada uma nas legendas 😉 PORQUE SIM, ESSE POST É UMA GALERIA DE FOTOS ♥♥♥♥

 

Primeiro dia de Bienal (22/08)… Ju, Yas, eu, Luara e Nath

Nath, eu, Ju e Rafa

Wellida, eu, Sarah, Yas e Ju

Sobreviventes de um taxista maluco! Gus, Luara, euzinha e Fer ♥

Luara, Ju, Sarah e eu: segundo dia de Bienal

Mah e eu ♥

Oi Blinho, conheci a Yas ♥

Indo pra São Paulo com a Jaja!

Eu no trono

Eu com os personagens da Paula Pimenta

Momentos BFF: Yas, Panda e eu

Momentos BFF: Eu, macaquinho e Yas

Momentos BFF: Eu e Yas na pose das poderosas.

Ostentando a credencial xD

Adventure Time no estande da Panini

Acho que também é Panini

Livro Boneca de Ossos GIGANTE

Mauricio Gomyde e eu ♥ Sou fã desse cara.

 

Eu e Deise Müller!

Lanchando com as meninas! Ana, Yas, Mah, Jaja, eu e Fer ♥ (ps: estou segurando uma BOLACHA!)

Mural de parceiros NC 2014, olha o Procurei em Sonhos ali!


Encontro de blogueiros e leitores no estande da Editora Jangada, organizado pelo Robs e pela Nica. Energia muito bacana do pessoal, ganhamos quase todos os prêmios, hehe

Mais encontro da Jangada!

A famosa foto do vêm neném!

Todos lindos e Sarinha numa pose descente!

Pessoal bacanudo depois do encontro da Editora Seguinte e Paralela ♥

Espero que vocês tenham curtido as fotos, assim como eu curti todos esses momentos!
No próximo post irei falei um pouco sobre os livros que comprei, preços e afins 😉

 

» Outros posts sobre a Bienal

P de passado

Arquivado em Com amor, Textos
- fevereiro 25, 2012
 
 
Maybe I didn’t treat you;
Quite as good as I should have
Maybe I didn’t love you
 Quite as often as I could have
Always on my mind – Michael Bublé
(Talvez eu não tenha te tratado
Tão bem quanto deveria
Talvez eu não tenha te amado
Com tanta frequência quanto poderia)

Você não merece mas esse é o milésimo texto que eu escrevo sobre um você que só existe em mim. Juro que tenho tentado não pensar em você, mas a sua ausência é mais evidente no meu dia-a-dia do que eu imaginei que seria. É difícil fingir que você não existe, mesmo te seguindo com meus olhos em cada passo que você dá. Eu ouço cada palavra que você pronuncia, mesmo de longe, mesmo não sendo pra mim. E eu fico imaginando como você pode estar sendo feliz com alguma outra pessoa, uma nova pessoa. Sei que eu fui culpada por isso, e não tiro sua razão de me considerar o ser mais desprezível e filho da puta desse mundo. Estou presa dentro do nosso passado nem tão distante, que insiste em remexer tudo aqui dentro de novo e de novo.

Eu deixei com que as borboletas voassem no meu estomago quando você chegava perto, deixei você ser a razão dos meus sorrisos, deixei você segurar a minha mão, e me fazer carinho quando eu não estava bem. Mas preferi esconder tudo comigo, achei que seria mais fácil, que ter uma amizade-colorida seria o melhor, que você sofreria menos, e olha só pra mim, sinto uma necessidade extrema de estar sempre perto de você, fazendo papel de idiota, de cachorrinha sem dono. Enquanto você, ora bolas, você tem seguido sua vida, firme e forte sem mim (e acredite, isso me dá muito orgulho, foi o que eu sempre – indiretamente – propus).

Acabaram de me perguntar se eu tô bem, e eu menti dizendo que sim. Pois é, tô ficando boa nisso, de fingir que não sinto, de negar tudo isso que insiste em permanecer em mim. E agora te conto (mais) um segredo: eu queria te convidar pro meu aniversário, mesmo sabendo da sua resposta. Mas eu queria que você participasse desse momento comigo.

(…)

Eu desejei que nosso não-relacionamento não virasse o mesmo clichê de sempre, mas talvez o problema seja eu. E, agora, o maior problema seja eu sem você. Porque você sim gostou de mim de verdade (e eu digo isso pra todos, a todo instante), você sim se importou comigo todos os dias, você esperou pelas minhas decisões, você fez de tudo para não me perder, pra não fazer a gente se perder. E veja só, me perdi em você. Por favor, se me encontrar, devolva.

E desculpa te expôr tanto assim, mas eu tô com saudade, e as palavras vieram dessa forma, forma essa que conseguiu ser a única pra me deixar expressar tudo isso..