Textos

Fev/2010

Foram suas ultimas palavras, e ele mal sabia o efeito que elas tinham sobre mim. Depois daquele quatorze de Março, comecei a perceber que nem tudo seria como eu desejava. Enquanto eu me esforçava pra não deixar as lágrimas caírem sobre meu rosto, você virava, como se já quisesse faze-lo antes, indo em direção à porta dos fundos.

Permaneci inquieta, com uma explosão de sentimentos dentro de mim. Mas era hora de ser forte, de provar à mim mesma, acima de tudo, que a garotinha havia crescido.

E por mais que eu quisesse sair correndo, como quando éramos dois apaixonados encontrando-nos às escondidas, eu não poderia. Seria impossível descrever-te o quanto eu queria que meu corpo fosse de encontro à seus abraços, e nos beijássemos lentamente, ardentemente, como em um filme, talvez até, como fomos um dia.

Entretanto, nosso tempo já havia se esgotado, e ambos estavam em seus limites. Fechar os olhos e fingir que nada havia acontecido seria covardia, e não resolveria metade dos nossos problemas. Era a nossa vida que estava se acabando.
Pensei novamente em chorar. Lembrei-me das vezes em que você me via chorando, dizendo que não adiantaria nada, que só tornaria-me mais fraca.

Só nos restariam as lembranças de uma vida dividida lado a lado, com companheirismo, carinho, sonhos divididos, desejos multiplicados, risos, aquela sensação de primeiro amor.

Um dia, talvez, nos esbarremos em qualquer rua. Sem intimidade, não saberemos como nos cumprimentar, daremos boas risadas relembrando velhos tempos, teremos vergonhas de intimidades vividas, perguntaremos um ao outro como está a vida, o trabalho, a família… Ninguém irá perceber que um dia fomos um.

Talvez você chore, ao sair por aquela porta, e perceba o quão injusto foi. Só que talvez não é uma certeza. E eu já não aguento mais viver com essas duvidas e mudanças de comportamento. É, a hora do adeus chegou, instalou-se sobre nós, partiu.

Fevereiro de 2010

Posts relacionados

9 comentários

  • Reply
    tamara furlan
    junho 19, 2010 at 10:00 pm

    nossa, que profundo, e mt bonito!
    parabens, voce escreve mt lindo;

  • Reply
    Marcela
    junho 20, 2010 at 1:38 pm

    Nossa, adorei o post *-* bjs

  • Reply
    lolla ramona (:
    junho 20, 2010 at 4:29 pm

    oooi,obg por passar lá no meeu blog ;
    desculpa a demora para responder ;P
    um ótimo domingo *-*
    _baiser_

  • Reply
    Beatriz Lopes
    junho 21, 2010 at 12:36 am

    Adorei. Sério. Apesar de ser triste, o amor é só mais uma das coisas boas que existem na vida, e como o tempo perdem a força e desaparecem. Beijos :*

  • Reply
    Jeniffer Yara
    junho 23, 2010 at 5:26 pm

    Nem sempre a hora do adeus é uma boa hora,ainda mais quando a pessoa que nos dá adeus foi injusta em sua decisão,e que ainda temos aquele sentimento por ela.
    Mas mudar faz parte da vida, e seguir em frente também,é dificil,mas é preciso! 😉

    Bjs!

  • Reply
    Mariana Negrizolli
    junho 23, 2010 at 5:37 pm

    nossa, amei *-*

  • Reply
    E.Suruba
    junho 27, 2010 at 3:37 pm

    é difícil quando chegaa esse momento, é uma coisa bem pessoal…detonou escrevendo! ficou massa! bj! bom fds

  • Reply
    Ariane Figueira
    junho 28, 2010 at 1:58 pm

    A hora mais dificil, é quando chega ao fim, tudo o que resta são lembraças e a vontade do não poder. Lindo o texto *-*

  • Reply
    Vicky D.
    junho 28, 2010 at 10:12 pm

    Que texto lindo!
    Um pouco triste, mas mesmo assim, lindo!
    às vezes, temos que dizer adeus.

    Bjão =^.^=

Escrever um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.