Textos

Nos meus braços eu guardo, teus abraços…

— Eu senti sua falta, moço. Senti a ausência da sua presença todas as manhãs. Senti seu cheiro indo embora, das minhas roupas, da minha cama, dos travesseiros… de mim. E eu te procurei em todos os cantos, mas era tarde demais e você não voltaria.

Silêncio.

— E sua vida, como tá?

— Minha vida, moço, é isso que eu vivo todos os dias. Sem novidades, sem borboletas no estômago, sem emoções, desejos, medos…

(…)

— Não precisa olhar pra baixo não, moço. Eu gosto de olhar dentro dos seus olhos. Eu gosto de ouvir sua respiração. E eu gosto de quando você sorri (pra mim).

— Vem pra perto de mim, menina. Deixa eu te abraçar bem forte. Deixa eu fazer cafuné em você.

— Mas depois você vai embora. Eu tenho medo. Estamos perto, e ao mesmo tempo tão longe.

— Eu volto, eu sempre volto…você sabe.

 

Posts relacionados

17 comentários

  • Reply
    Ana Bê.
    novembro 13, 2011 at 12:44 am

    achei lindo (:

  • Reply
    Alice
    novembro 13, 2011 at 2:50 am

    "Eu sempre volto voce sabe…"
    As vezes nao sei ate aonde e bom voltar,esse tipo de vicio e perigoso.Eu venho tentado me livrar ha um tempo!=/

  • Reply
    Clara Maia.
    novembro 13, 2011 at 2:10 pm

    Sempre voltamos. Não é? Achei tão bonito, tão…
    E claro, meus links são sempre todos seus!

    Beijos.

  • Reply
    Jeniffer Yara
    novembro 13, 2011 at 8:08 pm

    Se ele sempre volta e pra você, então deve valer á pena, e muito ><

    Lindo!
    Beijos

  • Reply
    Pérola Albuquerque
    novembro 13, 2011 at 8:17 pm

    "Eu volto, eu sempre volto…você sabe."
    Que lindo! Tudo bem que isso de voltar não é tão bom porque alguns dizem: senão deu certo no passado porque vai dar certo agora? Mas para o outro lado tem aquilo de: O que é verdadeiro permanece.
    Beijos
    http://primeirapessoa-dosingular.blogspot.com/

  • Reply
    Gabriela Marques
    novembro 14, 2011 at 2:08 am

    Somos feito passarinhos: livres. Mas sempre retornamos pra o lugar onde nos sentimos seguros.
    Faça a morada desde amor e teu passarinho sempre irá voltar.

  • Reply
    Maria Beatriz de Castro
    novembro 15, 2011 at 12:12 pm

    Meu moço não voltou… Mas sinceramente, acho que ele não ter voltado só mostro que nunca foi "meu moço". Procurei um cafuné permanente e me sinto feliz assim ^.^ Tô seguindo aqui ok? Te espero no Biacentrismo!

    Beijo querida
    http://biacentrismo.blogspot.com

  • Reply
    Deyse Sales
    novembro 15, 2011 at 7:50 pm

    Nossa, que lindo.
    Parece meio comigo 🙁
    Tô te seguindo!

    ps: Fiz uma página do meu blog no facebook. Se você curte o "In My World" curte a página por favor 🙂 (https://www.facebook.com/pages/In-My-World/109867479127783). Obrigada desde já.

  • Reply
    Luna Sanchez
    novembro 16, 2011 at 3:00 pm

    Ai, Cássia…

    Esse "eu sempre volto…você sabe" me dá medo também. Ao mesmo tempo que é um alento, a gente fica completamente disponível, sem poder coordenar a vida, sem poder dar um passo porque está constantemente à espera, na expectativa da volta.

    Já vivi uma situação assim, tinha a certeza de que ele voltaria e voltou, foi lindo, mas eu não me submeteria a isso de novo. É desgastante demais.

    =

    Um beijo, bem-vinda ao meu blog, vou acompanhar o teu também.

  • Reply
    Rafael Castellar das Neves
    novembro 16, 2011 at 4:35 pm

    Perigoso este "sempre volto"…mais ainda o "você sabe"..rs..muito bom o texto!

    []s

  • Reply
    Biiah Vieira
    novembro 25, 2011 at 2:52 pm

    muittooo lindo o post, o novo lay do blog taaa maravilhoso, bjs

    http://www.umteko.blogspot.com
    http://www.minhasmaosdetesoura.blogspot.com

  • Reply
    Juliana Skwara
    novembro 25, 2011 at 6:41 pm

    Amei seu blog, gostei tanto dos seus textos tão cativantes! Virei fã e já estou seguindo! Grandes beijos 😀

  • Reply
    Beatriz Lopes
    novembro 26, 2011 at 9:53 pm

    Odeio esse tipo de amor à prestação… Odeio a medida que o amo…

  • Reply
    Luna Sanchez
    novembro 27, 2011 at 6:39 pm

    Passando pra deixar um beijo, flor.

    =*

  • Reply
    novembro 27, 2011 at 8:42 pm

    Sempre voltamos, mas nunca voltamos iguais não é?

    http://paradigmafashion.blogspot.com/

  • Reply
    Thalita Santos
    novembro 27, 2011 at 10:21 pm

    É essa sensação de estar perto e ao mesmo tempo longe que nos aflige mais que tudo, na maioria das vezes.

  • Reply
    Elania
    dezembro 7, 2011 at 8:51 pm

    "É a ausência incerta da presença tua."
    Lindo, mas isso de ir e vir, um dia, o coração cansa… ou morre.

Escrever um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.