Procurei em Sonhos

Procurei em Sonhos

Comemorando o Halloween com as bruxinhas W.i.t.c.h

Oi, gente! Tudo certo com vocês?!

Por aqui está tudo tranquilo! Estou na metade do meu período de férias e aproveitando para organizar algumas coisas no meu quarto (separar livros para vender/doar, roupas que já não me servem/não uso mais, jogar milhões de papéis no reciclável – sério, não sei porque eu guardei essas coisas por tantos anos – e também alguns brinquedos {sim, eu ainda tenho boa parte dos meus brinquedos e não me orgulho disso}).

Bom, mas vamos ao que interessa, hahaha! Hoje é comemorado o Halloween, e eu pensei em falar um pouco sobre as revistinhas das Bruxinhas W.I.T.C.H, já que elas tiveram grande importância na minha pré-adolescência.

Minha coleção de revistas <3

A primeira edição que minha mãe comprou para mim foi a número 15. Isso foi lá em 2003 e foi amor a primeira vista. Sério, eu finalmente tinha encontrado uma revistinha que me agradava. E foi na edição 12 (sim, eu acabei fazendo minha mãe comprar algumas edições que ainda estavam na banca) que eu descobri os blogs (e estou aqui até hoje). Falando nisso, um dos meus primeiros blogs se chamava Irma Bruxa, fazendo referência a minha personagem preferida das historinhas. Mas, obviamente, as pessoas entendiam como Irmã bruxa e eu era motivo de piadas na escola 😐

Minha primeira edição

A edição onde eu descobri os blogs

Além das matérias sobre escola, música, livros, e bandas, as revistas também tinham o horóscopo do mês e as Histórias em Quadrinhos. Nas histórias era possível acompanhar as aventuras de Will, Irma, Taranee, Cornélia e Hay Lin, que iam desde combater o mal (uma coisa super normal, hahah), já que elas são as Guardiãs do Oráculo de Kandrakar, até os relacionamentos e crushes (Caleb!!!<3). E é claro que a importância da amizade estava sempre presente nas histórias.

Signo do mês e página inicial HQ.

Cada uma das personagens possuí um poder: Will – a força dos quatro elementos, Irma – água, Taranee –  fogo, Cornélia – terra e Hay Lin – ar. E assim também temos os signos dos zodíaco separados de acordo com cada elemento. Outra personagem que eu gostava bastante e que tinha grandes poderes era a Elyon: uma personagem muito misteriosa e importante para a história.

Além das revistas lançadas mensalmente, a editora Abril também lançava algumas edições comemorativas. Eu acabei encontrando essas duas edições na minha coleção, mas eu sei que também tenho uma edição diário, mas infelizmente eu não achei para fotografar.

Edições especiais

Infelizmente eu não sei o final da história das bruxinhas. Depois que acabou meu ano de assinatura, eu não comprei mais nenhum exemplar. Depois vou procurar algum site para ver se as edições estão disponíveis para leitura online. Também ouvi dizer que as histórias foram adaptadas para uma animação; e também pretendo procurar mais infos a respeito.

Espero que vocês tenham gostado desse post. Eu me diverti bastante escrevendo ele e preparando as fotos. Aproveitei para folhear algumas revistas da minha coleção e senti muita saudade dessa época. Foi uma sensação muito boa de nostalgia.

Alguém aqui já leu alguma revistinha das W.I.T.C.H?! Contem para mim nos comentários!

Beijos e até o próximo post!

Wishlist de Natal da loja Funstock
Mais uma aventura em Campos do Jordão
Eu li: Os 12 signos de Valentina

Eu li: Até que a culpa nos separe

Até que a culpa nos separe foi meu segundo contato com a escrita de Liane Moriarty e antes de mais nada, preciso dizer que foi uma experiência muito interessante realizar a leitura desse livro: eu demorei cerca de 04 meses para finalizar a leitura do livro e pensei em vários momentos em abandoná-lo. Mas eu resolvi dar uma nova chance para o livro (tinha lido cerca de 100 páginas até o início dessa semana) e devorei as quase 400 páginas restantes em menos de três dias. Então, se você tiver alguma dificuldade durante o começo da história, não desista. O livro fica bom no decorrer dos capítulos.

Nesse livro somos apresentados a três casais: Erika e Oliver, Clementine e Sam (pais de Holly e Ruby), e Tiffany e Vid (pais de Dakota). Todos os personagens estão ligados por conta de algo que aconteceu no dia do churrasco, mas tudo é um grande mistério – para quem está lendo e, em partes, para os próprios personagens. E é disso que eu gosto na escrita de Liane M.: ela brinca com a curiosidade dos leitores e vai dando pistas sobre os acontecimentos nas entrelinhas dos capítulos.

O livro é intercalado entre capítulos que narram os acontecimentos do dia do churrasco e também sobre como está a vida de cada personagem após esses acontecimentos. Aos poucos tudo vai se encaixando e os capítulos "arrastados" do início da obra fazem todo o sentido. Eu me senti montando um quebra cabeças de um milhão de peças por conta dessa característica da obra. E eu adoro quando uma narrativa me conquista e me faz querer revelar todos os segredos da trama.

Infelizmente eu não posso dar detalhes sobre o que acontece no dia do churrasco e muito menos dizer como cada um lidou com tais situações, porque o interessante nessa obra é descobrir tudo aos poucos. Mas o fato é: toda ação tem uma reação.

Gostaria de ressaltar que num primeiro momento, eu criei certo tipo de ranço em relação a Erika, mas ao decorrer da narrativa, eu pude entender melhor suas atitudes. Não que eu concorde com tudo o que ela fez durante a obra, mas achei interessante as características da personagem. Outro ponto que eu gostei bastante de encontrar nessa obra, foi o fato de que os personagens são humanos. Eles erram, acertam, possuem desejos, e em alguns momentos até acabam sendo um pouco egoístas, lidam com as consequências dos seus atos e em momento algum a vida deles pode parar para que a "casa seja colocada em ordem". É sempre uma montanha russa de situações e sentimentos. E achei tudo muito parecido com a nossa realidade.

No mais, a leitura de Até que a culpa nos separe foi muito proveitosa (apesar do que eu citei no primeiro parágrafo) e pretendo ler O segredo do meu marido em breve – eu sei que eu já tinha prometido isso na resenha de Pequenas grandes mentiras, mas vocês me conhecem hahaha :p


  • Editora: Intrínseca
  • ISBN: 9788551001912
  • Autor(es): Liane Moriarty
  • Páginas: 464 páginas
  • Ano: 2017
  • Avaliação: 4/5
  • Adicione no Skoob
SELO_BLOGSPARCEIROS_2016
Um pouquinho sobre "Little women"
Eu li: Nimona
Eu li: Os 12 signos de Valentina

Vamos falar sobre livros digitais?!

Oi, gente! Tudo certo com vocês?!

Outro dia eu vi uma pesquisa no Cuponation que despertou em mim certa curiosidade a respeito dos livros e leitores digitais e também acabei ficando curiosa para saber a opinião de vocês a respeito do assunto.

A pesquisa (que vocês poderão analisar ali embaixo) mostra que os livros digitais, na maioria das vezes, são mais baratos que os livros físicos. Claro que existem controvérsias, eu mesma já vi livros digitais mais caros que livros físicos (e nunca entendi o porque disso), mas não podemos negar que a procura por livros digitais cresce mais e mais a cada dia. Pensando nisso, eu decidi me aprofundar mais sobre o tema e conversar com algumas pessoas que possuem mais conhecimento a respeito do assunto.

Infelizmente eu não sou muito adepta a realizar leituras em formato digital pelo simples motivo de que eu não possuo um e-reader. Eu já tentei ler pelo celular inúmeras vezes – inclusive foi através do aplicativo Kindle que eu realizei a leitura de Senhorita Aurora, um dos meus livros preferidos da vida – mas é extremamente desagradável para mim. Porém, dependendo do livro {e do meu interesse}, eu acabo fazendo um esforcinho, hehe.

Um pouquinho sobre "Little women"
Eu li: Nimona
Eu li: Os 12 signos de Valentina
Página 4 de 170
1 ...12345678... 170››