InLivros, Resenhas

[Resenha] – Soul love: à noite o céu é perfeito!

Soul love

Soul love estava na minha lista de livros desejados desde quando eu tinha 15 anos. No começo desse ano eu consegui realizar uma troca no Skoob Plus e adquirir meu exemplar. E desde então eu estava enrolando para realizar essa leitura, porque eu já tinha lido tantos comentários a respeito da obra, que eu tinha certeza de que iria me afogar em lágrimas. Porém, no início dessa semana eu resolvi dar uma chance ao livro (vocês sabem, eu estava sensível demais, de tpm e doida pra me emocionar com alguma obra). Já aviso que essa resenha pode conter spoiler, porque o livro acabou me decepcionando um pouco e eu gostaria de explicar os motivos.

O livro nos conta a história de Jenna, uma garota-problema que é obrigada pela mãe a passar uma temporada na casa de sua tia Sarah, depois de ter aprontado poucas e boas no colégio. E é nessa cidade do interior que ela conhece Gabe e se apaixona no primeiro segundo em que o vê. Além de Gabe, Jenna também conhece outras pessoas que a fazem repensar sobre inúmeras coisas; entre elas: Cleo, Charlie, Aurora, Julius, Freddie e Ava. Aos trancos e barrancos, Jenna e Gabe começam um tipo de relacionamento (daqueles em que não sabemos se vai ser amor ou amizade), e fica um clima gostoso no ar a respeito das escolhas de cada personagem.

Aos poucos é possível descobrir que Jenna guarda um segredo em relação ao que aprontou na escola, enquanto Gabe é um rapaz extremamente enigmático – e que muda de humor em segundos. Isso me deixou um pouco irritada, porque Jenna começou a viver em função de Gabe e o livro se tornou repetitivo. O que deveria ser uma história de primeiro amor, de descobertas e afins, acabou sendo um monte de informações jogadas ao decorrer do livro. Foi tudo muito rápido e senti que o tema que realmente precisava de um foco maior, não foi bem trabalhado.

Eu também me decepcionei com as atitudes de tia Sarah e seu ex-namorado, Kai. Para mim era evidente que Kai não era uma boa pessoa desde o começo do livro. Mas Sarah apostava tantas fichas nele, se iludia, se deixava levar por respostas fúteis e mantinha uma esperança sem igual. Mas eu juro que eu não consigo entender como ninguém percebia que Kai não prestava! Em determinado momento uma luz se acendeu na cabeça de Jenna e ela começou a desconfiar de Kai. Mas ao invés da garota ajudar a tia a enxergar quem ele era de verdade, ela achava que já tinha muitos problemas e preferia não ajudar a própria tia. Vocês me desculpem, mas achei esse ato bem egoísta.

Falando em Jenna, eu também fiquei com um ponto de interrogação GIGANTE me questionando os motivos que a fizeram acreditar que Mia e Jackson eram seus amigos de verdade. Acho que Jenna só enxergava o que queria, porque ela tentou tapar o sol com a peneira por grande parte da história. Eu entendo que devemos ser leais aos nossos princípios, mas estava evidente que Mia só estava manipulando a personagem principal. E por conta disso, Jenna acabou se fechando e desconfiava de todas as pessoas ao seu redor. Em vários momentos eu fiquei com vontade de entrar no livro e chacoalhar Jenna pra ver se ela acordava para a vida.

Eu sei que sou uma manteiga derretida, que adoro clichês e que me envolvo nos livros que leio. Mas acontece que em Soul Love as coisas foram um pouquinho diferentes. Esse livro tinha uma história que poderia sim me emocionar e chorar feito uma criancinha perdida; mas acredito que o grande problema (?!) foi a autora. Ela não aprofundou os diálogos, deixou muitas pontas soltas, não trabalhou muito bem os personagens, tornou Jenna uma protagonista chata e correu horrores no final do livro. Sério, tudo ficou meio atropelado e até agora eu tô me perguntando qual a relação desse livro com A culpa é das estrelas – porque muita gente diz que se você gostou de ACEDE, também vai gostar de Soul love.

Mas eu não sou uma bruxa, e preciso admitir que algumas coisas no livro me agradaram, como o segredo de Gabe (é difícil encontrar essa temática nos livros) e também a banda formada pelos adolescentes da trama. Criei afinidade com Aurora (irmã mais nova de Gabe) e também com Julius. Também gostei do fato de ser uma leitura rápida e com capítulos curtos. O romance de Gabe e Jenna é bonito em alguns pontos da história, mas eu esperava bem mais.

Acredito que se eu tivesse lido a obra com os meus 15 anos, eu teria tido outras impressões e uma melhor experiência com a história. Foi com o coração apertado que classifiquei o livro com 2 estrelas (porque, como eu disse, eu apostava todas as minhas fichas nessa história), mas valeu a pena a leitura.

 Editora: Melhoramentos

ISBN: 9788506056141

Autor(es): Lynda Waterhouse

Páginas: 208

Ano: 2006

Adicione no Skoob

post-698_a2

3

You may also like

3 Comments

  • Luiza Helena Vieira

    Oi, Cássia!
    Menina, eu lendo sua resenha também fiquei me perguntando o que tem a ver com ACEDE, que eu já li.
    Confesso que só daria uma chance mesmo a esse livro só pra saber o segredo da guria lá.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do Balaio de Babados e Postando Trechos
    Participe da promoção 1 Ano de Estilhaçando Livros

    setembro 8, 2016 at 10:12 am Reply
  • Eu li: A gramática do amor – Procurei em Sonhos

    […] que eu tive durante a leitura era de que estava lendo um livro com os mesmos personagens de Soul Love: à noite o céu é perfeito. Não sei se isso aconteceu porque os dois livros possuem temáticas parecidas, se o público alvo […]

    abril 29, 2018 at 11:07 am Reply
  • Marina

    Vou te falar que li com uns 12 anos e me recordo do livro com tanto carinho que você não imagina! Acho que a leitura é mesmo para uma pré adolescência, quando tudo ainda é novidade 🙂

    novembro 17, 2018 at 3:18 am Reply
  • Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.