Posts arquivados em Mês: abril 2018

29 abr, 2018

Eu li: A gramática do amor

Oi, gente! Tudo bem com vocês?!

Por conta do Projeto de Leitura de 2018, eu estou me aventurando em conhecer novos autores e ler uma parte dos livros que já estavam parados na estante fazia um bom tempo. E aí, lá pelo dia 20 de Março eu comecei a leitura de A Gramática do amor, da autora espanhola Rocío Carmona. Eu não tinha lido muitas coisas a respeito dessa obra, mas pela premissa eu achei que eu iria gostar bastante da história. Mas não foi bem isso o que aconteceu.

O livro nos conta a história de Irene, uma garota que estuda num colégio interno e que sofreu uma “grande” desilusão amorosa. Eu não vou ficar entrando em detalhes a respeito da desilusão, porque quando eu era adolescente eu me apaixonava muito rápido e depois ficava sofrendo pelo amor não correspondido (hoje eu sei que aquilo não era amor). Então eu meio que entendi o que ela sentiu, mas aquilo não era o fim do mundo.

Mas enfim, por conta dessa desilusão, ela começa a ter algumas aulas com um dos professores da escola, onde a proposta é ela ler alguns livros clássicos a respeito do assunto e refletir de alguma forma sobre o tema. Eu até achei essa ideia interessante, tirando a parte em que a autora ficou dando milhões de spoilers a respeito dos livros lidos por Irene. Eu sei que, por serem clássicos, não teria problema algum a autora mencionar partes importantes das obras ou até mesmo o final delas; Mas acho que ela poderia ter abordado essas informações de uma maneira diferente.

Conforme o semestre escolar vai passando, Irene se aproxima mais do professor da gramática do amor, e ela também se envolve em algumas situações constrangedoras com os demais colegas da escola. Falando nisso, eu não entendi como é que alunos do Ensino Médio tinham acesso a tantas bebidas alcoólicas (mesmo quando estavam com os professores), e também como eles burlavam com tanta facilidade as regras da escola. Como o livro se passa em um colégio interno inglês, não sei se a lei para a venda e consumo de bebidas alcoólicas para menores é feita de maneira diferente.

O livro contém muitas referências a grandes títulos da literatura, artes, e também muitos trechos de músicas. Eu só gostei de três personagens no livro: Heather, Brenda e Marcelo (pois é, nem com a protagonista eu me identifiquei). Não gostei de como Irene e o professor Peter se envolveram, muito menos das atitudes de Josh e de sua amiga de quarto, Martha. O final foi previsível, porém foi a parte mais fofa de toda a história.

A impressão que eu tive durante a leitura era de que estava lendo um livro com os mesmos personagens de Soul Love: à noite o céu é perfeito. Não sei se isso aconteceu porque os dois livros possuem temáticas parecidas, se o público alvo é o mesmo ou se eu passei da idade de ler essas obras.

Para mim é interessante fazer esse tipo de postagem, porque nem só de livros bons nós vivemos. Pode ser que alguém leia a obra e se identifique muito com a história, ou goste muito do enredo. Infelizmente isso não aconteceu comigo e o livro já está na pilha de livros para doação.

Alguém por aqui já leu esse livro?! Contem para mim nos comentários!


26 abr, 2018

Eu li: Métrica (Slammed #1)

Eu me apaixonei pela escrita de Colleen Hoover enquanto lia Um caso perdido, que foi o primeiro livro que li dela. Desde então ela se tornou uma das minhas autoras favoritas da vida e eu sempre tento ler alguma de suas obras. Recentemente li Métrica, o primeiro volume da trilogia Slammed e preciso dizer que simplesmente adorei a história. Apesar de ter adquirido o livro há mais de 4 anos, sinto que realizei essa leitura na hora certa.

Após a morte de seu pai, Lake, sua mãe e seu irmão mais novo precisam mudar de casa, indo do Texas para Michigan. Lake sempre fora contra essa mudança, mas como não tinha outra opção, acabou acatando as ordens da mãe. Mas, ao chegar em seu novo destino, a vida de Lake mudou completamente, pois ela conheceu seu vizinho Will – e os dois criaram uma conexão magnifica logo na primeira troca de olhares.

Conforme os dias vão passando, Will e Lake se tornam cada vez mais próximos e ele a convida para ir em concurso de poesias, o Slam. E então somos introduzidos a esse universo maravilhoso das poesias, que são um show a parte dentro desse livro. Mas voltando ao assunto, Lake e Will acabam se envolvendo de diversas formas, e o sentimento entre eles é muito bonito e sincero. Mas toda essa mágica se desfaz quando Lake começa a frequentar o colégio e descobre algumas verdades a respeito de Will.

Como se já não bastasse Lake estar enfrentando o luto eterno de seu pai e ter se apaixonado por uma pessoa que ela não conhecia tão bem, a vida de Lake tem outra grande reviravolta e eu só queria chorar e chorar e chorar quando tudo começou a ser revelado.

Continue lendo

17 abr, 2018

Conhecendo o Castelo Rá-tim-bum

Boa noite, pessoal! Tudo certo com vocês?!

Eu passei boa parte da minha infância assistindo a programação da Tv Cultura e o Castelo Rá-tim-bum era um dos meus programas preferidos (e se eu estiver passando pelos canais e me deparar um episódio sendo exibido, eu vou parar para assistir). Por conta disso, um dos meus grandes sonhos era conhecer o interior do castelo.

Em São Paulo estava rolando uma exposição na Fundação Memorial da América Latina, mas infelizmente eu não consegui ir, e fiquei bem chateada por conta disso. Mas ai eu descobri que a exposição também viria para Campinas e ai, meus amigos, o jogo virou!

 

Fiquei bem contente porque o Doutor Victor finalmente abriu as portas do Castelo e no dia 31/03, Pablo e eu finalmente conhecemos o Castelo Rá-tim-bum <3 Foi uma experiência única, maravilhosa e com gostinho de infância.

O passeio durou cerca de 45 min e foi possível conhecer mais a respeito da criação dos figurinos e personagens, além de visitar lugares marcantes do Castelo, como por exemplo o quarto do Nino, a Biblioteca, o quarto da Morgana e também a linda cozinha.

 

Além disso, também era possível tirar fotos na entrada do Castelo ao lado do Porteiro, com a Celeste em sua árvore, e nos ovinhos dos Passarinhos (ps.: eu tirei fotos em todos os cenários, ahahahah). Eu fiquei muito encantada porque alguns cenários da exposição faziam parte dos cenários da série.

A única coisa ruim foi que parecia que tinha mais gente do que o espaço suportava, e por isso ficava um pouco difícil de parar e ler os informativos com atenção. E também tinha muita gente que furava fila na hora de tirar fotos (mas mesmo assim nós conseguimos tirar algumas bem legais).

 

Minha ideia é voltar na exposição com a minha mãe, porque eu tenho certeza de que ela também vai gostar bastante. Quero fazer isso no meu período de férias, em um dia da semana durante a tarde, porque acho que não vai estar tão lotado e aí dá pra aproveitar um pouco mais.

Pelo o que eu andei olhando no Google, a exposição de Campinas está um pouco “compactada” quando comparada com a que estava em São Paulo. Mas acho que isso se deve porque o espaço no shopping é menor.

 

Ps.: Separei apenas algumas fotos para ilustrar esse post, porque se não ele ia ficar muuuuuito longo :p

Ps.²: É a primeira vez que eu uso o recurso de Galeria em um post do blog, então se der algum problema, por favor, me avisem :]

Alguém aqui já foi nessa exposição?! Contem para mim nos comentários!

Beijão e até mais!

14 abr, 2018

Novidades sobre “Senhorita Aurora”

Olá, sonhadores! Tudo certo com vocês?!

O post de hoje será um pouco diferente, pois vou falar sobre o lançamento da nova edição do livro Senhorita Aurora, da autora Babi A. Sette. Eu tenho um carinho muito especial por essa obra, e recomendo a leitura para todos, principalmente para quem é fã de um bom romance.

O livro será lançado em Maio/2018 pela Verus Editora, e promete esquentar e emocionar mais ainda o coração dos leitores. Segundo informações da autora, o livro contém cenas extras e importantes para a trama, além de algumas alterações na história.

Continue lendo

08 abr, 2018

Eu li: O Homem de Giz

O Homem de Giz, escrito pela autora C.J. Tudor é o mais novo lançamento da Editora Intrínseca. E meus amigos, que lançamento!

Narrado sob a perspectiva de Eddie, a história gira em torno de suas aventuras ao lado de seus amigos: Gav Gordo, Nicky, Mickey Metal e Hoppo. Em 1986, eles ainda eram crianças e passavam a maior parte do tempo brincando e andando de bicicleta. Até que uma série de acontecimentos começaram a marcar a infância da gangue e muitos enigmas se formaram a partir disso. Trinta anos depois, em 2016, Eddie ainda guarda muitos questionamentos, sentimentos e aflições a respeito do passado, e aos poucos, vamos descobrindo ao lado dele mais peças desse quebra-cabeça. Sendo assim, os capítulos são intercalados entre 1986 e 2016, e por isso é possível entender, compreender e descobrir tudo o que aconteceu no passado, além de saber mais a respeito do homem de giz.

Eu particularmente gostei bastante dessa obra. A escrita de C.J. Tudor é viciante e eu devorei o livro em um fim de semana – o que resultou em uma noite mal dormida e pesadelos após a finalização da leitura. Mas, cá entre nós, tudo isso valeu a pena… Porque eu me envolvi tanto com a história, com os enigmas, com o suspense e com os personagens que eu fiquei me questionando por muito tempo sobre tudo o que eu li.

A construção dos personagens foi algo de que eu gostei muito na obra. Todos possuem características e histórias interessantes, e a ligação entre cada fato e personagem me agradou muito. Outro ponto que me agradou na história foram os assuntos abordados em 1986. Alguns pontos (como a profissão da mãe de Eddie) foram abordados com maestria, quebrando um pouco o tabu de temas polêmicos para a época.

O homem de giz

Quem me acompanha a mais tempo já deve saber que eu sempre estou em busca de novos livros do gênero thriller para ler. E fazia tempo que um livro desse gênero não me agradava tanto. Apesar de meu lado xeroque rolmes ter entrado em ação mais ou menos na metade do livro, todo o desenrolar da trama foi interessante e surpreendente.

A edição da Editora Intrínseca está um capricho, com capa dura, folhas de corte na cor preta, e cada início de capítulo é destacado, o livro em si é uma linda obra de arte.

Obs.: Mês que vem o blog estará completando 09 anos. Pensei em sortear alguns livros e entre eles, um exemplar de O Homem de Giz. O que vocês acham?! <3


Parceria Intrínseca