Categoria "Textos"

Como aprendi a me amar?

Em 18.02.2015   Arquivado em Projetos, Textos

Eu tinha cerca de 10 anos quando comecei a perceber que era diferente das demais garotas da minha idade. Estava na quarta série, meu mundo ainda era todo perfeito e cor de rosa, mas algo estava se modificando. Na época eu era apaixonada pelo meu melhor amigo (paixão que durou anos, mas que sempre fora platônica) e ele ficou super afim da minha melhor amiga. Sério, tinha como piorar? A resposta é: sim. De repente minha amiga também estava apaixonada por ele e quando questionei por que ele tinha se interessado por ela, a resposta que recebi foi porque ela era bonita, diferente de mim. Ok, na época éramos muito inocentes, mas doeu pra caramba.

O tempo foi passando e na quinta/sexta série eu ainda continuava no meu mundinho. Minhas colegas começaram a se interessar por garotos mais velhos, e eu continuava a ser a cdf que só pensava nos estudos e em brincar de boneca quando chegasse da escola. E para mim tudo isso era super normal, não me interessava por nada além disso. Mas foi quando cheguei à sétima série que meu mundo realmente deu uma volta e tanto! Eu me tornei a menina mais zoada da turma, aquela para quem 98% dos alunos apontavam o dedo e comentavam algo, a que foi motivo de chacota e piadas de mau gosto. A menina que se dizia minha melhor amiga (não a que citei no início do texto) foi a responsável disso tudo; ela e o garoto por quem eu era apaixonada nessa época. Fui vítima de bullying, criaram uma comunidade no Orkut para me zoar, faziam desenhos na lousa e tiravam sarro de mim… Falavam do meu cabelo, do meu corpo, das minhas atitudes… Juro por Deus, foi a época mais difícil da minha vida! Mas encontrei forças para continuar.

Os anos seguintes foram melhores, mas ainda era tudo muito difícil. Felizmente consegui mudar de escola e pensei que tudo iria melhorar. Em partes, foi bom. Mas com o tempo fui percebendo que as pessoas que sempre diziam se importar comigo eram as primeiras a me zoarem pelos mesmos motivos citados acima. Nesse momento comecei a me questionar se o problema não era eu, porque eu mudei de escola, fiz novas amizades e tudo voltava a ficar igual (não de uma forma imatura, mas eram os mesmos motivos de zoação). Minha mãe me ajudou muito nesse momento, me mostrou que eu era sim uma pessoa boa, que eu poderia cuidar mais do meu visual/estilo e que infelizmente as pessoas não tem dó de zoar alguém.

Infelizmente penei mais alguns anos, principalmente porque não importava onde eu estava, sempre existia alguém que iria me criticar pelas minhas atitudes e, principalmente pelo meu corpo. Poderia enumerar quantas decepções obtive em minha vida, quantas vezes as pessoas que se diziam serem minhas melhores amigas (em quem eu confiava e abria meu coração para contar como tudo sempre fora tão difícil) foram as primeiras a apontarem os dedos e me zoar.

Aos poucos fui sendo mais seleta quanto as minhas amizades e felizmente consegui superar tudo o que aconteceu. Hoje em dia me aceito como sou, sei que existem pessoas que sempre vão me amar, independente de como eu me vista e/ou de como seja meu corpo. Minha mãe e o Pablo são duas pessoas que sempre me mostram que sou capaz e que tudo o que passou me tornou mais forte. Sou imensamente grata a eles – e também a todos que sempre estiveram ao meu lado.

 

Dói muito falar sobre tudo isso, mas hoje tenho plena consciência de que eu consegui, de que eu fui capaz e que hoje sou uma pessoa melhor, mais forte e segura por conta de tudo o que aconteceu. Hoje me amo exatamente como sou, me aceito e me cuido. Sou diferente do que era antes, eu cresci e sou mais madura. Consegui entender que as pessoas que fizeram isso comigo não tinham consciência de como era difícil para mim, e graças a Deus superei tudo. E foi assim, juntando vários cacos que aprendi a me amar.

***
Esse texto faz parte do projeto Me amo assim. Quer saber mais sobre ele? Acesse a página no Facebook.

Sobre continuar existindo – ou qualquer coisa assim

Em 03.09.2014   Arquivado em Textos
Fonte: WeHeartIt

Pobre sonhadora.

Vive de palavras, emana nos versos e ri dos personagens. Embala seus sonhos nos contos, nas estrofes, nas rimas. Habita seu faz de contas, seu final feliz, seu próprio conto de fadas. E sorri seu sorriso mais afetuoso, mais completo, mais profundo…

Quando menos se espera, a infelicidade chega de mansinho, corrói a alma, derrama lágrimas. Como grande vilã da história, é algo inevitável. Ninguém sabe dizer de onde ela vem e para onde vai. Uns arriscam que é obra do tempo, do destino… Mas é impossível saber. Faz parte dos mistérios da vida; das nossas próprias escolhas. É um sentimento danado, que destrói o coração e gera turbilhões de dúvidas…

“Quem sou?”, “Para onde vou?”, “O que devo fazer?”.

A garota que é refém das palavras torna-se peça essencial para o quebra-cabeça dentro de seu próprio ser. Em suas veias circulam gotas de angustias. O peito aperta, e as lágrimas caem. E surge um pensamento, lá no fundo, como criança que quer brincar, mas tem medo…

“Você sabe o que fazer, garota! Você é forte, encare seus problemas…”

Respira fundo, procura diversas soluções e sempre encontra alguma que lhe agrade; que prove que ela realmente é capaz de enfrentar tudo o que acontece ao seu redor.

Sem pressa e sem medo sabe onde encontrar abrigo.

Abre mais um livro, mergulha em mais uma obra, cria laços. Uma tatuagem. Morada. Ligação impossível de se desfazer. E sente-se livre, realizada, completa. Vive de sonhos, doce sonhadora.

Fazia tempo que não postava nenhum texto pessoal. Espero que vocês gostem ^^

Você, eu, nós…

Em 28.11.2013   Arquivado em Com amor, Textos
Acordei, e só agora caiu a ficha de que acontecemos de novo. É hora do banho, e insisto em não lavar meus cabelos só para ficar por mais algumas horas com seu cheiro entre cada fio. Minha boca queima só de pensar em seus lábios e tudo o que eu queria agora era um abraço. Porque você me aceita do jeitinho que sou. E porquê, é só você, eu, nós… E nunca aconteceu.
Em você eu encontro a possibilidade de ir mais além, de tocar todas as estrelas do céu e de te encontrar ao abrir os olhos.
Se for parar pra pensar, você (sempre) me levou ao extremo da paixão. Aliás, você é um desgraçado em sempre me convencer, em me fazer sentir tudo isso (e mais um pouco)… De novo e de novo. E porquê, é só você, eu, nós… E nunca aconteceu.
E quando preciso segurar na mão de alguém, é a sua mão que procuro. E procuro seus abraços, seu cheiro – ah, aquele seu cheiro que me completa, me domina, me faz pedir arrego – seus olhos… Procuro sua alma; porque agora somos duas almas andando lado a lado. Porquê, é só você, eu, nós…E nunca aconteceu. E sempre procuro seu riso. E sua voz. E te encontro… Você me faz sentir viva.
Queria te dizer o quanto te acho lindo! De vez em quando vejo alguma sombra sua por ai, te imagino, te acompanho… Está tudo aqui, ou aí com você. Porquê, é só você, eu, nós… E talvez um dia aconteça.
Encontrado no baú de lembranças, escrito em meados de Setembro/Outubro de 2012.
Hoje estou feliz porque acontecemos, meu amor.

Universo Particular

Em 25.10.2013   Arquivado em Com amor, Textos
Foto: Tumblr

Descobri que me apaixono por você dia após dia…

Nunca pensei que você seria capaz de me proporcionar tantos momentos de felicidade:
Quando estou contigo meu mundo para, e volto a ser aquele velho clichê por quem você se apaixonou. Dividimos os corpos, partilhamos os mesmos desejos, a mesma sintonia. E você pouco se importa se uso meias diferentes: simplesmente ri e acha graça, acha natural… E eu te amo mais e mais.
É tão lindo ver teu sorriso ao perceber que estou na ponta dos pés para te beijar.

Me abraça.

Forte.

De novo.

Sobre morar num abraço seu.

Em 12.06.2013   Arquivado em Com amor, Textos

Moço,

Gosto tanto da calma que você me dá. Gosto do seu riso brincando com o meu e de como você consegue me fazer tão bem, apenas com um olhar. Gosto de quando você faz cafuné para eu dormir, e das vezes em que você acorda no meio da noite, enquanto eu te faço o mesmo. E tem como não gostar do gosto do seu hálito quando nossos lábios se encontram e de todos os arrepios que você me faz sentir?! 

Gosto das nossas quase brigas… e de como sempre resolvemos tudo (daquele nosso jeito). Gosto de dividir meus segredos com você e gosto dos nossos segredinhos. Gosto das suas manias, seus defeitos e até de quando você fala alto sem perceber. E também gosto dos seus abraços, seus mimos, seus carinhos. Gosto dos nossos apelidos bobos, dos nossos e-mails ou dos momentos em que você está jogando e eu estou lendo ao seu lado. E gosto de quando você fala que estou linda, mesmo eu estando em um dia ruim. 

Gosto de como você me incentiva a nunca desistir dos meus sonhos, e de como você sempre me mostra que amigos de verdade não desaparecem na primeira oportunidade. Gosto também da maneira como você me ensina que tudo na vida tem um lado bom, e só o tempo pode resolver alguns problemas. Gosto (e muito) de quando você senta e me explica que tenho que ser eu mesma e não ligar se outras pessoas irão gostar ou não. E gosto do fato de você me aceitar como sou, mesmo com meus dramas, meus medos, meus vícios e manias.

E estou amando estarmos estreando juntos nesse tal dia dos namorados. Eu te amo ♥

Beijos,
Sua.

Amorecos, como vocês estão?! Juro que eu queria ter feito uma semana pra lá de especial para comemorar o dia dos namorados, mas nem tempo para respirar estou tendo direito t_t Prometo que as atualizações virão com mais frequência, só estou ajeitando algumas coisinhas 😉 Beijos :*

Página 2 de 19123... 19»