Livros Resenhas

[Resenha] – Feitiço


Feitiço – Saga Encantadas – Livro 02
Sarah Pinborough
Única Editora, 2013
248 Páginas

Skoob | Orelha do Livro

Você se lembra da história da Cinderela, com sua linda fada madrinha, suas irmãs feias e um príncipe encantado? Então esqueça essa história, pois nesta releitura de Sarah Pinborough ninguém é o que parece. Em um reino próximo, a realeza anuncia um baile que encontrará uma noiva para o príncipe e parece que o desejo de Cinderela irá ganhar aliados peculiares para ser realizado. Contudo, não será fácil: ela não é a aposta de sua família para esse casamento real, e sua fada madrinha precisa de um favorzinho em troca de transformar essa pobre coitada em uma diva real. Enquanto isso, parece que Lilith não está muito contente com os últimos acontecimentos e, ao mesmo tempo em que seu reino parece sucumbir ao frio, ela resolve usar sua magia para satisfazer suas vontades. Feitiço é o segundo volume da trilogia iniciada com Veneno, um best-seller inglês clássico e moderno ao mesmo tempo em que recria as personagens mais famosas dos irmãos Grimm com personalidade forte, uma queda por aventuras e, eventualmente, uma sina por encrencas. Princesas, rainhas, reis, caçadores e criaturas da floresta: não acredite na inocência de nenhum deles!
É recomendável que você leia a resenha de Veneno antes de prosseguir a leitura dessa postagem.

O segundo volume da Saga Encantadas, Feitiço, conta a história da Cinderela; uma Cinderela beeem moderninha, diga-se de passagem. O livro tem ligações com o primeiro livro da saga (Veneno) e achei bem interessante como Sarah conectou as duas obras.

Cinderela é, sem dúvidas, mais insuportável que suas irmãs postiças. A garota sempre quer que suas vontades se realizem, custe o que custar. Para alcançar seus objetivos, Cinderela passa por cima dos sentimentos de Rose, a filha boazinha da madrasta. Enquanto Cinderela elabora planos maquiavélicos com sua fada-não-tão-madrinha e um caçador muito estranho, sua “irmã” tenta a todo custo lhe mostrar o que realmente importa na vida.

A madrasta de Cinderela é uma boa pessoa. Na verdade, a víbora de toda a história – infelizmente – é nossa personagem principal. Ela também não aceita que sua mãe lhe abandonou, fazendo com que sua madrasta e seu pai se dedicassem a vida toda para que nada lhe faltasse. No entanto, Cinderela tenta provar para sua família que suas atitudes são planejadas e que ela deseja proporcionar um futuro melhor para todos.

Rose tinha um jeito simples e como todas as outras moças de sua idade, era apaixonada pelo príncipe. Diferente de Cinderela, Rose tem uma visão inteligente sobre o futuro, mas é muito reservada, fazendo com que ela seja esquecida em determinados assuntos. Ela tenta ao máximo abrir os olhos de sua “irmã”, e mesmo depois de todas as maldades que Cinderela executa, Rose prova ser uma boa pessoa e a ajuda.

O príncipe que nos é apresentado nessa história também não tem nada de encantado: é um tarado, mimado e inútil, decepcionando seu pai só para conseguir satisfazer seus caprichos; Ele tenta ao máximo esconder um segredo que está guardado no castelo, mas Cinderela está interessadíssima nesse mistério, e a garota não poupa esforços para desvendá-lo. Realmente os dois se merecem.

O desfecho de toda a história é chocante, deixando clara a característica de Sarah Pinborough, de sempre tentar mostrar aos seus leitores a “verdadeira” história sobre as famosas princesas; sempre criando cenários sombrios, dando um ar de mistério e gerando expectativas sobre o que realmente vai acontecer. Além disso, Sarah se arriscou ao trabalhar temas polêmicos (como por exemplo, homossexualidade) nesse segundo volume de Encantadas. Mas, como já disse, ela foi genial e surpreendente. Estou ansiosa pelo último livro, Poder.

Posts relacionados

5 comentários

  • Reply
    Bianca
    janeiro 28, 2014 at 1:48 pm

    Genteee, simplesmente AMEI essa resenha, me interessei bastante pelo livro..
    Já estou até seguindo seu blog fofa, poderia seguir o meu também?
    BJOSS DA BIAH

    http://www.caprichoebiah.blogspot.com.br/

  • Reply
    O que tem na nossa estante
    janeiro 28, 2014 at 11:13 pm

    Caraca a autora está botando as histórias das princesas de cabeça para baixo mesmo ein?!? Madrastas boas, princesas mimadas, segredos sombrios… uau! Fico com vontade de ler, sou curiosa, adoro encontrar novas versões dos contos de fadas, desde o século XVIII que nós produzimos diferentes histórias para esses personagens, to louca para conhecer a versão do século XXI porque ela parece ser tão violenta quando a do século XVIII!

    Cheros, Jaci.

  • Reply
    Camila
    janeiro 29, 2014 at 3:29 pm

    Ótima resenha….
    eu li o 1º da saga, falta os outros 🙂

  • Reply
    Yasmim Namen
    março 11, 2014 at 5:19 am

    shuahsuahsus Cá, amei a sua resenha. <3

  • Reply
    Yasmim Namen
    março 11, 2014 at 5:20 am

    Tipo, a Rose é a mocinha ? Ela tem um final feliz ? Sei lá, acho que a Sarah não teve uma infância legal com as princesas e por isso resolveu acabar com a minha imagem e inocência. u___U'
    Obs: será que em off você pode me dizer quem é o alvo do homossexualismo na obra? .-.

Escrever um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.