Livros Resenhas

[Resenha] – Máscara – A vida não é um jogo

Máscara: A vida não é um jogo
Luiz Henrique Mazzaron
Novo Século, 2013
368 páginas
Skoob | Orelha de Livro

No mundo de Domus, a morte é a moeda que alimenta o jogo. E a verdade pode custar a vida. Liam é um garoto que viveu por muito tempo isolado devido aos constantes castigos do sádico tio, um carrasco ex-militar. Porém, inesperadamente, surge uma entidade maléfica, uma figura das trevas que trajando uma máscara, e passa a perseguir, levando-o a participar de um jogo num mundo surreal, chamado Domus. Junto a um grupo, Liam parte para uma experiência alucinante, em que os pecados da humanidade serão colocados em xeque, como numa espécie de julgamento. Um combate onde o principal objetivo do adversário é mostrar o quão odiosa é a raça humana… Mas ainda há muitos mistérios que rodeiam este intrincado jogo. Por qual motivo a criatura possui tamanha obsessão por ele? E vale a pena prosseguir, já que a morte é a única certeza?

“Máscara”, do autor Luiz Henrique Mazzaron, lançado em 2013 pela Editora Novo Século é uma história muito assustadora, capaz de mexer com o psicológico de quem está lendo. Fiquei feliz pela qualidade da escrita de Luiz; é gratificante saber que a nossa literatura está sendo valorizada e, para mim, o autor merece destaque no mundo literário. O livro não se encaixa na categoria de ‘livros-para-serem-lidos-antes-de-dormir’ e a leitura está longe de ser considerada leve. A leitura de “Máscara” exige muita atenção e raciocínio rápido. Posso dizer que é um livro muito, mas muito tenso.

Nosso protagonista em “Máscara” é Liam, um garoto que vive com o tio e não é feliz. Quando ainda era uma criança, Liam sempre teve pesadelos com um ser mascarado que o assombrava, mas nunca soube o que isso significava. Seu tio sempre fora um péssimo exemplo de pessoa, e após uma situação muito estranha, Liam se vê livre do seu carrasco e encontra, em meio a uma tragédia, a oportunidade de finalmente ser feliz.

No exato momento em que Liam se vê livre do tio, sua vida cruza com a dos funcionários da delegacia da cidade onde vivem, e rapidamente criam laços de afeto. Sendo assim, os agentes Ryan e Craig levam o garoto para um orfanato, até que as coisas se resolvam. Mas o que ninguém esperava era que o ser mascarado dos sonhos de Liam iria tornar-se real e causar um grande massacre em Green Valley. No momento em que percebe que está entre a vida e a morte, Ryan pede para seu fiel amigo – Craig, que leve Liam para longe dali. Essa decisão tomada em um momento de desespero torna-se o divisor de águas nas vidas de Liam e Craig, além dos demais personagens que por ventura conseguiram escapar com eles para longe do massacre.Os anos se passaram e nesse ponto o autor deu inicio a segunda parte da história. Poderia dizer que a primeira foi apenas uma introdução, para que os leitores pudessem sentir um pouco da tensão que o livro apresentaria no decorrer dos capítulos. Eis que Liam se vê livre dos pesadelos, e tudo está em paz e em plena tranquilidade na nova casa da “família”. Craig, Liam e os demais sobreviventes, se hospedaram em uma residência que pertencia a Ryan, que serviu como um lugar para recomeçar. Mas o senhor mascarado conseguiu encontrar Liam e transformou sua vida em um inferno muito pior do que anos antes.

Após uma tremenda reviravolta, Liam se vê preso dentro do mundo de Domus e é obrigado a jogar um jogo extremamente cruel, onde ele precisa decidir entre a vida e a morte de pessoas que ele sequer viu em sua vida. Durante o jogo, a trajetória de Liam é muito sofrida e enigmática. Ninguém sabe porque ele é o principal jogador, mas tudo gira em torno de suas decisões. As partes em que Liam precisava decidir entre salvar ou não alguém, foram as mais difíceis durante a leitura; No entanto, todas as pessoas que eram julgadas por nosso jovem-guerreiro, tinham alguma culpa no cartório. E ai fiquei me perguntando: “E se existisse, de fato, esse real julgamento no mundo em que vivemos?! Será que ele seria um lugar melhor, ou seria transformado em um completo caos?”. Fiquei chocada em como Luiz conseguiu criar um mundo paralelo tão parecido com o nosso nesse contexto.

Enquanto Liam está preso dentro do mundo de Domus, Craig e Ryan tentam encontrar uma resposta para os enigmas que estão acontecendo. Liam sumiu misteriosamente do “mundo real”, além de outros membros da família sobrevivente. Os detetives ainda precisam desvendar os mistérios que começam a surgir no mundo real, que, para eles, não fazem o menor sentido. Pode parecer confuso no começo, mas o autor soube transmitir exatamente o que queria, de uma forma não muito complicada de entender. Mas, como já disse, “Máscara” é um livro que deve ser lido com muita atenção. Exemplo disso, é que tive que voltar e reler algumas páginas só para entender o que estava acontecendo – e isso aconteceu várias vezes durante a leitura.

Além da criação desse cenário horripilante (e, ao mesmo tempo, muito real), Luiz também foi muito feliz na criação dos personagens que envolvem a trama. Cada um possui uma particularidade, além de reações muito humanas. Uma das poucas “regras” do jogo é que o grupo formado por Liam e os demais participantes se mantenham unidos até o final. No entanto, cada um quer salvar a própria pele, e muitos acabam caindo em “tentações”, e tentam ao máximo esconder o que realmente desejam. Mas, o principal objetivo do jogo, é provar para Liam que o mundo real não é o melhor lugar para se viver, que existem pessoas que não ligam para nada, além do próprio nariz; e que, infelizmente, pessoas que praticam crimes por “necessidade” (por exemplo, falta de comida), são julgadas como se tivessem matado alguém.

O livro termina na transição para o segundo, e posso adiantar que estou extremamente ansiosa para ler sua continuação. A escrita de Luiz é maravilhosa, e ele está de parabéns. É impossível não ficar com uma sensação de quero mais ao finalizar a leitura. A Editora Novo Século também fez um trabalho maravilhoso na diagramação e revisão. Um excelente livro que todos deveriam ler.

Posts relacionados

8 comentários

  • Reply
    Caroline Centeno
    Maio 19, 2014 at 12:54 pm

    Oi guria.
    Esse livro deixou minha curiosidade a flor da pele, adoro livros que contenham um pouco de tensão e acredito que vai ser de roer as unhas enquanto se lê.
    Bom, o livro logo vai estar nas minhas mãos por bem ou por mal…HAHA.

    ÓTIMA resenha, Cá ;D

  • Reply
    Samuel Cardeal
    Maio 19, 2014 at 4:00 pm

    Tem um tempinho que tô de olho nesse livro. Fico impressionado como autores cada vez mais jovens vem publicando. Tirando a sensação de velhice, fico muito feliz.

    Resenha 10
    Beijo

  • Reply
    Roberta
    Maio 19, 2014 at 6:21 pm

    Awesome!!! Essa foi a primeira palavra que me surgiu ao terminar de ler a sua resenha! Deve ser um daqueles livros que me fariam sonhar depois de ler, certeza. Preciso me lembrar de fazer as unhas antes de ler esse livro ou elas somem outra vez ç___ç.

    Adorei a resenha Cá! Parabéns! Adoro o seu jeito de escrever. Fico mais empolgada para ler os livros.
    Beijos, beijos e beijos.

    Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

  • Reply
    Ju LiteRata
    Maio 19, 2014 at 6:42 pm

    Achei que o autor era nacional, pq então nomes tão americanizados? Sei que estou sendo cruel e talvez desnecessária mas isso realmente me irrita bastante, agora que desabafei vamos voltar a resenha! Bom, como sempre sua resenha está perfeita Cá, no entanto não sou muito fã de livros de terror a não ser King, e sinceramente ando meio decepcionada com autores nacionais, acho que eu estou rabugenta hoje, desculpa. Enfim, parece ser uma narrativa bem interessante, mas eu sinceramente não leria, bjocas e desculpa de novo!

  • Reply
    Francine Porfirio
    Maio 19, 2014 at 8:22 pm

    Eu esperava pela sua resenha, Cássia, porque geralmente gosto dos mesmos livros que você (haha). Então, Máscara já está aqui… E quero muito lê-lo, mas tenho ainda que dar conta de alguns livros antes. Li várias resenhas sobre este livro… A maioria não era clara e a história era um enorme enigma para mim, embora minha curiosidade só crescesse. Há pouco tempo, li a resenha da Fer (do Percepções) e notei que o livro era mais assustador do que esperava. Adorei saber disso, kkkk. E agora, lendo sua resenha, meus dedos coçam pelo desejo de logo apanhar o livro na prateleira e me envolver nesse terrível cenário. õ/
    Pre-ci-so muito conferir como o Liam sai dessa… Se ele se transforma no monstro que parecem desejar torná-lo. Acho que esse livro desperta o pior dos personagens. Não é? Soou-me muito interessante nas suas palavras, flor. Amei, como sempre, sua resenha.
    Beijo carinhoso!!!

    http://www.myqueenside.blogspot.com

  • Reply
    O Que Tem na Nossa Estante
    Maio 20, 2014 at 1:46 am

    assim, fiquei tensa só de ler a resenha, imagina o livro! rs Excelente resenha, me prendeu do inicio ao fim, agora me resta ter coragem de ler esse livro que parecer ter aventura e terror!

    Bjs, Michele

  • Reply
    Carol Rodrigues
    Maio 20, 2014 at 12:43 pm

    Oi Cálinda <3

    Eu já estava curiosa com esse livro pelo amor platônico pelo mesmo que a Fernanda do blog Percepções compartilhava comigo hhahahahaha Você sabia que ele quer transformar em uma trilogia? Achei genial! A história é ótima, mas não é meu gênero forte… Por isso tenho medo de ler e não gostar, sabe? O Luiz se inspirou muito em Agatha Cristhie (li em uma entrevista), e eu não suporto os livros da autora D: Viu meu impasse? hahahaha Mas cada vez que leio uma resenha como a sua, eu fico na dúvida: Será que é possível não gostar?
    Amei sua resenha, amor ♥

    Beijos
    http://www.estantedasfadas.com.br/

  • Reply
    Natália Alves
    Maio 20, 2014 at 3:04 pm

    Não conhecia o livro mas a sua resenha deixou um gostinho de quero mais. A história parece ser incrível e já estou colocando na lista de desejados. Adorei a resenha!

    Beijo,
    Naty.

Escrever um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.