Procurei em Sonhos
Correio dos Sonhos
Comic Con Experience 2018
Receba marcadores do blog!

[Resenha] – A evolução de Calpúrnia Tate

Não sei ao certo como descrever todas as sensações que A evolução de Calpúrnia Tate me proporcionou. Apesar de em sua premissa a obra aparentar ser um livro complicado de ser lido, não tive nenhuma dificuldade e a leitura foi extremamente rápida e proveitosa. O enredo foi muito bem descrito, inclusive todas as situações vividas pela família Tate (responsável pela produção de algodão na região) e seus amigos. Me apeguei aos personagens e me emocionei com suas conquistas do inicio ao fim do livro.

Calpúrnia (Callie Vee) é a única menina dentre os sete filhos e a época não proporciona muitos direitos às mulheres. É uma fase complicada, e com seus quase 12 anos, Callie começa a se questionar sobre as diferenças entre homens e mulheres, e como seria sua vida no futuro. Em meio a todas suas dúvidas, nossa protagonista se aproxima de seu misterioso avô e descobre nele (e em seus experimentos e pesquisas) uma oportunidade de realmente fazer o que deseja. Callie é diferente de todas as meninas de sua idade e se dá a oportunidade de fazer questionamentos sobre a vida como um todo; ela vai além das expectativas e não tem medo do que pode acontecer.Os momentos de Calpúrnia ao lado de seu avô foram os que mais me emocionaram; Pude me lembrar do meu avô que já faleceu e também do que ainda está vivo. Sempre fui muito apegada a eles, vivia fazendo perguntas e acompanhava seus experimentos, da mesma forma que acontece no livro. Mas não foram esses os únicos momentos em que me emocionei durante a trama; Quando Callie estava com os irmãos, pude sentir uma lealdade imensa, mesmo quando a situação era desagradável para alguma das partes.

"Um dia eu teria todos os livros do mundo, prateleiras e mais prateleiras deles. Viveria em uma torre de livros. Leria o dia todo e comeria pêssegos."

Narrado pela própria protagonista e com um leque de personagens encantadores, A evolução de Calpúrnia Tate nos mostra como era a vida no campo em meados de 1899, a simplicidade de cada acontecimento, o cortejo de rapazes para moças, o respeito perante a família, a esperança em relação à virada do século, e tantos outros itens que me deixaram encantada com a trama. Poderia dizer que é um livro de época, mas não sei se seria a melhor definição para a obra. Apesar de abordar tantas características de um livro desse gênero, a história surpreende por sua simplicidade e Calpúrnia nos comove com suas conquistas, medos e desejos.

O livro também aborda um lado de conhecimentos sobre as espécies e achei esse diferencial encantador! Não sei se, de fato, todas as informações são verdadeiras, mas adorei a forma que a autora trabalhou essa característica. Gostaria de ter sido amiga de Calpúrnia e poder ter feito descobertas e explorações em sua casa, principalmente ao lado de seu avô.

Fiquei com o coração nas mãos enquanto o final da história se aproximava. Eu não queria que tudo acabasse; eu queria poder viver no mundo mágico de Callie por muito mais tempo – ou séculos. O livro como um todo é uma verdadeira obra de arte, tanto pela capa, como pela história. A escrita de Jacqueline Kelly me lembrou muito Markus Zusak em A menina que roubava livros e recomendo para todos. Digo sem dúvidas que o livro é extremamente peculiar, cativante e singelo; através dele vocês terão a oportunidade de observar o mundo de uma maneira única e diferente.

 

Editora: Única Editora

ISBN: 9788567028415

Autor(es): Jacqueline Kelly

Páginas: 384 páginas

Ano: 2014

Skoob | Orelha de Livro

 
* Livro cedido para resenha pela Editora.
Eu li: Mapa dos Dias
Eu li: Essa garota (Slammed #3)
Livros para presentear nesse Natal
14 comentários
  • Geração Leitura

    Oi, Cá
    Que resenha linda hein? Eu estou encantado e absorto. Li A cor do leite e ele tem um pouco dessa característica de uma família que lida com os trabalhos do campo e também já li os livros da Sue Monk Kidd, nos quais ela mostra o papel da mulher nas sociedades patriarcais e etc. Ver essas duas características juntas me fizeram desejar o livro. Já quero solicitar para leitura! Sua resenha me conquistou e por sinal, está linda e me fez querer conhecer a Callie logo <3

    Beijos
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com

    Responder
  • Rogério

    Eu estava lendo e sendo conquistado aos poucos pela resenha, já adicionando ele na minha lista, daí você cita que a escrita é algo como Markus Zusak em A Menina que Roubava Livros, meu livro favorito da vida… Tá, me venceu, me derrubou e me fez decidir comprar ele. Como adorei a resenha, e saber que o livro pode ter tanta semelhança com o meu favorito, mesmo sendo talvez somente na escrita, foi um ponto interessantíssimo.

    blogvagandoedivagando.blogspot.com

    Responder
  • Livros Encantos

    Cass lindona essas ligações com nossos avós marcam demais , acho que vou me identificar também nesse ponto , e nossa protagonista aos 12 anos pode e deve questionar tudo, essa capa já havia me chamado atenção em seus lançamento. Gostei da resenha e apresenta um livro que vale a pena ler. beijos

    Joyce
    http://www.livrosencatos.com.br

    Responder
  • Thales Soares

    Esaa capa é muito bonita, e ótima resenha.

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    Responder
  • Jéssica Melo

    Olá Cássia, quando eu via capa e a sinopse desse livro já queria lê-lo agora depois da sua resenha necessito lê-lo <3 A historia parece ser bem leve e fluida mostrando o mundo aos olhos dessa pequena menina, as diferenças da época, sua família e seus sonhos…

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    Responder
  • Estante Diagonal

    Cássia, este ano perdi minha avó e tudo ainda é muito recente, então não me arriscaria na leitura, pelo menos não por agora, e quanto aos meus avôs nunca cheguei a conhecê-los. Vou esperar a ferida fechar mais um pouquinho. Adorei sua resenha <3

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    Responder
  • bruna lombardi

    Oie ^^
    O que essa capa? ( *o*)/ E muito linda!
    Ao julgar pela capa,a historia não e bem o que eu esperava,mas também não me decepcionou.
    Me pareceu uma historia com o desenrola bem leve e gostosa.
    Espero ler logo,logo ><
    Beijos

    Bruna do blog: Cantinho da Bruna
    @blogcantinhoBL
    Participe do nosso top comentarista. São 2 livros , kit de marcadores e 2 ganhadores .

    Responder
  • Diana Canaverde

    Olá tudo bem???

    Bom a capa do livro é lindíssima mesmo bem trabalhada por sinal naqueles entalhes pretos… Já o livro não me contagiou para a leitura… mas a história é boa… eu tinha um relacionamento muito bom com meus avós maternos… hoje só tenho me vozinho e ele conta histórias de época maravilhosa… Parabéns a sua resenha foi bem escrita e com os detalhes necessários… Xero!!!!

    Responder
  • Matheus Rocha

    Olá

    Apesar de ser uma narrativa em primeira pessoa, a capa é muito bonita e a premissa me deixou curioso então já anotei na minha (enorme) lista de livros pra ler. Acredito que eu irei demorar um pouco pra comprar livros novos, pois tenho uma pilha de não-lidos aqui que precisa ser diminuída. Espero gostar do livro assim como você e ter uma leitura também muito proveitosa.

    Abraço!
    http://www.umomt.com

    Responder
  • Ju

    Achei mesmo que seria um livro complicado de ser lido, que legal que a leitura foi tão proveitosa para você e te proporcionou tantas sensações diferentes! Se a escrita te lembrou A menina que roubava livros, já quero!! *-* Deve ser muito interessante ver todas essas características da época em que a história se passa, em um livro que é muito mais que uma história de época. Acho que vou amar!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    Responder
  • Dreeh Leal

    A premissa desse livro me deixou meio em dúvida no seu lançamento. Achei a capa belíssima, mas de que adianta se a história não fosse tudo isso?
    Pela sua resenha ele parece ótimo. Gosto dessas relações familiares e com certeza será um ponto tocante para mim no livro.

    Beijiinhos ;*
    Andressa – Blog Mais que Livros

    Responder
  • Giulia Ladislau

    Cássia, sua linda! Brigada por me fazer lembrar esse livro! Assim que saiu a divulgação, eu me interessei por causa dos vários elementos presentes nele, em especial a protagonista juvenil. Mas aí veio O Teste, eu fiquei fissurada na distopia e me esqueci desse. Mas agora esse está no topo da lista pro próximo pedido.
    Não me lembro de ter lido outra resenha desse livro, acho que até por isso eu meio que deixei de lado, porque não li nenhuma opinião. E agora eu fiquei ainda mais curiosa pela história. Saber que tem esse relacionamento avô x neta já está me deixando sensibilizada, já que também perdi um avô e eu choro de saudades até hoje.
    Adorei saber que o livro vale a pena. 🙂
    Beijinhos!
    Giulia – http://www.prazermechamolivro.com

    Responder
  • Planet Pink

    Oie!;
    Que capa linda! E a história do livro parece sensível e emocionante. Deve ser um ótimo livro!
    Beijo
    http://www.blog-planetpink.blogspot.com

    Responder