InLivros, Resenhas

[Resenha] – O que restou de mim

O que você faria se tivesse nascido híbrido em um país onde ser assim é considerado um crime?! Esse é o dilema por qual Eva e Addie passam. Porém, existe algo a mais nessa história: quando uma criança nasce híbrida, apenas uma das almas deve ser a predominante e dominar o corpo – ou seja, a outra acaba sumindo (lê-se: morrendo). Então toda a história gira em torno das irmãs Addie e Eva, que por uma armadilha do destino, permaneceram unidas.
Durante muito tempo as irmãs sofreram por conta de nenhuma delas se tornar predominantes no corpo. Mas, quando menos esperavam, Addie tornou-se dominante e Eva supostamente teria desaparecido… Porém, Addie guardava consigo um segredo que poderia custar sua própria vida: Eva ainda estava presente em seu corpo, elas ainda eram uma só.

Após ser declarado que haviam se definido, os pais de Addie decidem que o melhor é mudar-se para uma nova cidade, longe de todos os comentários sobre o caso que envolvia a filha. Por anos Addie e Eva conseguiram sobreviver sem despertar a curiosidade e o interesse das demais pessoas. Mas tudo mudou quando Hally e Devon entraram em suas vidas…

A ligação entre os quatro acontece de uma forma muito rápida e natural. Hally e Devon sabem que Eva ainda está no corpo de Addie, e querem ajuda-la a dividir o comando com sua irmã. O desenvolvimento de Eva é surpreendente, mas todo sacrifício vai por água abaixo quando Addie é levada para um hospital a fim de fazer um tratamento para curar sua “doença”.

As descrições do hospital e o modo como os pacientes eram submetidos a exames e mais exames foi de partir o coração. Entrei em desespero inúmeras vezes e tive a sensação de que eu precisava fazer algo por eles. Durante o período em que permanecem no hospital, as irmãs acabam aprendendo a lidar com certas dificuldades, e mais do que nunca precisam trabalhar em equipe.

Narrado sob a visão de Eva, O que restou de mim expõe comportamentos e ações que estão presentes no nosso próprio dia-a-dia, como por exemplo, o preconceito com o próximo. Apesar de ser uma ficção, a obra brinca com o comportamento e com a convivência entre seres da mesma espécie, mas que possuem peculiaridades diferentes. A superação de cada um também é bem retratada na trama, além da descoberta sobre si mesmo em determinados momentos. O romance que embala a obra é singelo e existe aquela sensação de que é necessário superar muitas barreiras para, de fato, tornar-se real.

A trama como um todo é de tirar o fôlego! A cada página que lia, sentia que precisava ler mais e mais para desvendar os segredos sobre os híbridos e os mistérios que envolviam o hospital. Kat Zhang fechou a obra com chave de ouro! Estou extremamente ansiosa pelo segundo volume de As crônicas híbridas, porque muita coisa ficou sem explicação e quero saber o que o futuro reserva para os pacientes de Nornand.

Editora: Galera Record

ISBN: 9788501098368

Autor(es): Kat Zhang

Páginas: 320 páginas

Ano: 2014

Skoob | Orelha de Livro

* Livro cedido para resenha pela editora.

8

You may also like

8 Comments

  • Camilla Lobianco

    Achei bem diferente essa premissa, e um pouco (muito) triste também. Gosto muito quando um livro mescla situações irreais/fictícias com o psicológico, dando esse ar instigante. E essa capa? Duas imagens em uma… brilhante! bjao

    ssentrelivros.blogspot.com.br

    novembro 25, 2014 at 5:54 pm Reply
  • Francine Porfirio

    Oi, Cássia-linda!
    Que saudade do seu cantinho! Finalmente apareço por aqui para ler sua opinião sobre um dos livros que me encantou quando pousei os olhos nele na livraria (haha). Até tirei foto dele para, depois, adicioná-lo à minha lista no Skoob.
    Gostei de saber que o livro é tão bom! Eu li uma resenha sobre ele, da Sammy-flor (do blog Da Imaginação à Escrita), que indicava haver certas incoerências na história capazes de incomodar o leitor. Mas saber que você considerou esse um excelente livro volta a me encher de expectativas! Geralmente, curto muito os livros que você gosta.

    Beijos, flor!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    novembro 25, 2014 at 6:21 pm Reply
  • Patricia Caroline

    Achei bem diferente a premissa desse livro. Pelo que eu me lembro, não li nada sobre híbridos, ainda. Já tinha visto essa capa e fiquei bem curiosa para saber do que se tratava a história.

    Mais uma série pra gente querer acompanhar. Hoje em dia tá difícil encontrar uma história que começa e termina no mesmo livro rsrs

    Beijos!

    novembro 25, 2014 at 6:29 pm Reply
  • Edlaine Fernandes

    Oiee,
    Amei a capa desse livro e achei a história muito interessante.
    Acho que nunca li nada desse estilo, certeza vai entrar na minha lista de desejos.
    Gostei bastante da sua resenha e acho que vou gostar desse livro também.

    Beijos da Di
    Parte de Minha História

    novembro 25, 2014 at 7:38 pm Reply
  • Viviane

    Pra começar preciso dizer que essa capa me encantou. Eu não conhecia o livro, por falta de atenção ou de oportunidade eu perdi a divulgação dele. Enfim…amei sua resenha e me senti muito interessada em ler. Tentarei em 2015, pois agora em 2014 está osso encaixar mais livros. Obrigada pela dica.
    Beijos
    Vivi

    http://vivianeblood.blogspot.com.br/2014/11/resenha-mares-de-sangue-scott-lynch.html

    novembro 25, 2014 at 9:10 pm Reply
  • Thales Soares

    A capa deste livro é muito bonita. ótima resenha, ja to com muita vontade de ler.

    http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

    novembro 25, 2014 at 10:45 pm Reply
  • Italo Henrique

    Oi! O/
    Achei a premissa desse livro beeeeeeeeeeem diferente, loucona HAHAHAHAH. Mas é bem interessante, realmente, prende o leitor. Parece uma coisa melancólica, pelo que eu vi, mas deve ser legal ver essa confusão acontecer, e o modo como as pessoas reagem a isso.

    Saudades, ein? <3 Tô voltando!

    Italo.

    novembro 26, 2014 at 12:06 am Reply
  • Tamiris Leitão

    QUÊ QUE É ISSO AMIGUINHA ? Pode fazer resenhas assim não . Eu já queria muito ler essa obra, e depois dessa resenha (leia-se: primeira resenha que li da obra) fiquei ainda mais ansiosa. Não sabia que a história falava de muito mais que uma simples ficção, e não sei, mas gostei mais do nome de Eva, e não da Addie . Esse nome sempre remete a alguém ruim . Mas não sei, só lendo pra saber. Adorei a resenha bb 🙂

    novembro 26, 2014 at 1:28 am Reply
  • Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.